Best-seller 'Três Xícaras de Chá' tem erros e distorções, afirma documentário

Greg Mortenson (Foto BBC)
Image caption Reportagem diz que autor se diz criador de escolas inexistentes

Um documentário da rede americana CBS afirma que o best-seller Três Xícaras de Chá, que acompanha a trajetória do autor Greg Mortenson em sua empreitada para construir escolas na Ásia Central, é cheio de erros e distorções.

De acordo com o programa 60 Minutes, a entidade beneficente criada por Mortenson recebeu crédito pela construção de escolas no Afeganistão e no Paquistão que na verdade não existem.

O documentário afirma ainda que o autor usa sua organização, que seria sem fins lucrativos, como ''um caixa eletrônico''.

Em um email enviado a órgãos de mídia e a seus fãs, antes de o programa ir ao ar, o escritor afirmou que a única fonte do documentário é uma declaração de imposto de renda relativa a um único ano prestada por Mortenson.

Defesa

No comunicado que assinou, o autor diz que a reportagem ''pinta um retrato distorcido usando informações imprecisas, insinuações e um foco microscópico na declaração de imposto de renda de apenas um ano (2009)''.

Ele postou uma declaração no site de sua fundação, o Central Asia Institute, criada por ele para financiar e construir escols na Ásia Central.

''Eu sustento as informações contidas em meu livro e o valor do Central Asia Institute em dar poder a comunidades locais para construir e operar escolas que educaram mais de 60 mil alunos'', afirma o comunicado.

O livro Três Xícaras de Chá foi lançado em 2006 e se tornou um best-seller mundial.

Relato

O livro conta como Greg Mortenson, um alipinista, se perde ao fazer caminhadas no norte do Paquistão e é resgatado por moradores de um vilarejo em uma área remota. No livro, ele conta que a gentileza das pessoas que encontrou o motivaram a construir uma escola.

De acordo com a reportagem do 60 Minutes, os moradores locais que acompanharam Mortenson negam a afirmação feita por ele de que ele teria se perdido.

A atração de TV mostraria ainda que várias das escolas construídas no Paquistão e no Afeganistão que teriam sido construídas pelo Central Asia Institute ou não existem ou foram construídas por outras pessoas.

Alguns diretores da escola diseram à reportagem do 60 Minutes que há anos não recebem qualquer investimento da entidade.

O site do CAI diz que a organização criou mais de 170 escolas e ajudou a educar mais de 68 mil estudantes.