Paquistão

Suicida em atentado que matou 50 sobrevive e pede desculpas

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Tocar com outro programa

Um suicida de 14 anos que sobreviveu a um fracassado atentado no Paquistão falou á BBC, em uma rara oportunidade de entender a lógica dos homens-bomba.

Por um erro do dispositivo que ele carregava, Umar Fidai sobreviveu a um ataque suicida contra uma mesquita de Sakhi Sarwar, em Dera Ghazi Khan, no Paquistão.

Quando foi encontrado, tinha perdido um braço e sangrava pelo abdômen.

Duas semanas depois, preso e sob tratamento médico, ele disse que se preparou para o atentado vivendo um "momento de felicidade".

"Achei que haveria um pouco de dor, mas logo eu estaria no paraíso", afirmou.

O ataque, no início de abril, fez um grande estrago. Outro adolescente, ainda mais jovem que Umar, detonou o seu cinto e matou mais de 50 pessoas no incidente.

Segundo a polícia paquistanesa, os jovens são presas fáceis para o extremismo em todo o Paquistão. "Eles são inocentes e é fácil inflar o radicalismo dentro deles", disse à BBC um policial.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.