'Nunca vi tanta devastação', diz Obama em região atingida por tornados

Obama conversa com moradores de Tuscaloosa, cidade devastada por tornado Direito de imagem Reuters
Image caption Presidente assumiu 'compromisso' de ajudar a reconstruir comunidades

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou nesta sexta-feira o Estado do Alabama, o mais afetado pelos tornados e tempestades que atingiram o sul e o leste do país nos últimos dias, e disse nunca ter visto tanta devastação.

“Devo dizer que nunca vi devastação como esta. É desolador”, disse Obama após percorrer a cidade de Tuscaloosa, destruída por um tornado na quarta-feira.

“Tuscaloosa costuma registrar tornados durante esta época do ano, mas isso (a devastação) é algo que eu não acredito que tenha sido visto antes”, disse o presidente, que visitou a região acompanhado da primeira-dama, Michelle Obama.

Os fenômenos climáticos dos últimos dias deixaram mais de 300 mortos em vários Estados, sendo 210 no Alabama.

Durante a visita, Obama conversou com familiares de vítimas, agradeceu aos voluntários que trabalham no local e disse que o governo federal fará o possível para ajudar as comunidades atingidas a se recuperarem.

“Além de incluir todas as famílias afetadas em nossas preces, obviamente nossa prioridade agora é ajudar essa comunidade a se recuperar”, disse o presidente.

“Quero assumir um compromisso com as comunidades aqui, de que nós vamos fazer tudo o que pudermos para ajudar a reconstruir essas comunidades.”

Emergência

O Alabama é um dos sete Estados americano em estado de emergência e vai receber dinheiro do governo federal para os trabalhos de reconstrução.

Esta temporada de tornados e tempestades é considerada a mais mortal a atingir os Estados Unidos desde 1974.

Segundo o serviço nacional de meteorologia, cerca de 300 tornados e tempestades atingiram o sul e o leste do país desde sexta-feira passada. Metade deles foram registrados no Alabama.

Cerca de 1 milhão de residências e lojas continuam sem energia no Estado, desde quarta-feira.

Equipes de emergência e 2 mil soldados continuam procurando sobreviventes em meio aos destroços.

O governador do Alabama, Robert Bentley, já disse que o número de mortos deve aumentar à medida que as equipes avancem sobre as áreas mais afetadas.

Notícias relacionadas