Morte de Bin Laden

Cresce pressão para que EUA divulguem fotos de Bin Laden

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Tocar com outro programa

Dois dias depois de ter anunciado que os Estados Unidos mataram Osama Bin Laden, o presidente americano Barack Obama enfrenta crescente pressão para divulgar imagens que provem que o líder da rede extremista Al-Qaeda está realmente morto.

O governo americano teme que a divulgação das imagens possa inflamar ainda mais os partidários de Bin Laden no Paquistão e em outros locais, que já prometeram lançar novos ataques contra os Estados Unidos.

Até o final da manhã desta terça-feira, o governo ainda não havia decidido se liberaria ou não imagens do corpo de Bin Laden.

Segundo o governo americano, o líder da Al-Qaeda reagiu à captura e foi morto com um tiro na cabeça, sendo depois lançado ao mar - menos de 24 horas depois de sua morte, seguindo a tradição religiosa islâmica. Antes disso, exames de DNA e técnicas de reconhecimento facial teriam confirmado sua identidade.

AFP

O governo americano teme inflamar partidários de Bin Laden

Na segunda-feira, o principal assessor do governo para assuntos de segurança nacional e contraterrorismo, John Brennan, disse que a Casa Branca faria “todo o possível para garantir que ninguém tenha qualquer base para negar” que os Estados Unidos capturaram Bin Laden.

Clique Leia mais na BBC Brasil sobre as declarações de Brennan

Temor de ataques

A morte do líder da Al-Qaeda, acusado de ser o principal mentor dos atentados de 11 de setembro de 2001, que mataram cerca de 3 mil pessoas em Nova York e Washington, aumentou o temor de novos ataques contra alvos americanos ou ocidentais.

Logo após a divulgação da notícia, o Departamento de Estado emitiu um alerta sobre o risco desse tipo de violência.

Os Estados Unidos chegaram a fechar sua embaixada e alguns consulados no Paquistão por medidas de precaução. Nesta terça-feira, porém, a embaixada e um dos consulados foram reabertos.

Em entrevista à rede de TV ABC, Brennan disse que especialistas americanos estão analisando documentos e outros materiais retirados da mansão em que Bin Laden foi encontrado.

Segundo Brennan, os analistas buscam evidências sobre planos de novos ataques, pistas que possam levar a outros líderes da Al-Qaeda e também informações sobre que tipo sistema de apoio Bin Laden tinha no Paquistão.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.