Forças de Khadafi 'usam bombas de fragmentação'

Rebeldes líbios na cidade de Ajdabiya (AFP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Rebeldes continuam combatendo forças leais a Muamar Khadafi

Forças leais ao líder líbio, Muamar Khadafi, teriam usado bombas de fragmentação em um novo ataque contra o porto da cidade de Misrata, no oeste da Líbia.

O supervisor do porto de Misrata afirmou que um dos dispositivos explodiu embaixo de um caminhão, ferindo duas pessoas.

Segundo o correspondente da BBC em Trípoli David Bamford, jornalistas na capital líbia afirmam ter visto provas fotográficas claras de que as forças de Khadafi usaram este tipo de munição contra o porto da cidade.

O porto de Misrata está sendo usado para o embarque de feridos e imigrantes que tentam fugir dos confrontos na cidade, em direção à Benghazi, outra cidade da Líbia sob comando dos rebeldes.

O gerente do porto de Misrata afirma que também há minas explosivas espalhadas pelo local, segundo Bamford.

Na semana passada, as forças da Otan que estão no país já tinham retirado minas explosivas espalhadas no local, que atingiriam os navios que chegassem ao porto de Misrata.

Há três semanas, uma equipe da BBC em Misrata conseguiu filmar o que pareciam ser os restos de bombas de fragmentação já explodidas.

Estes tipos de munição e armas estão proibidas em muitas partes do mundo.

Leste e oeste

Misrata é a única cidade importante no oeste da Líbia que ainda está sendo mantida pelos rebeldes que tentam derrubar Khadafi.

Os rebeldes estão no comando de grande parte do leste do país, em volta de Benghazi, enquanto as forças leais a Khadafi mantêm a maior parte do oeste.

Os combates entre os rebeldes e as forças leais a Khadafi tem se intensificado nas montanhas do oeste do país na última semana.

A Otan está cumprindo uma resolução do Conselho de Segurança da ONU e realizando ataques aéreos para tentar proteger a população civil durante o conflito entre as forças de Khadafi e os insurgentes.

E, neste sábado, os disparos de artilharia das forças leais a Khadafi teriam caído no território da Tunísia, o que obrigou os moradores da área de fronteira a fugir.

A agência de notícias Reuters informou que o incidente ocorreu na cidade tunisiana de Dehiba, na fronteira. Os estudantes teriam sido retirados das escolas locais.

Notícias relacionadas