Dinamarca controlará fronteiras para combater criminalidade

Getty Direito de imagem BBC World Service
Image caption Haverá um posto de controle na ponte que liga Dinamarca e Suécia

A Dinamarca afirmou nesta quarta-feira que vai voltar a controlar suas fronteiras com a Alemanha e a Suécia.

A medida deve entrar em vigor dentro de duas a três semanas, com a construção de postos de controles nas bordas, assim como em aeroportos e portos.

O ministro das Finanças dinamarquês, Claus Hjort Frederiksen, disse que a decisão foi tomada por causa do aumento dos crimes cometidos por pessoas que vem ou vão para outros países.

O governo dinamarquês diz que a decisão não fere o tratado de Schengen, que determina a livre circulação de pessoas entre os países signatários.

O espaço Schengen permite a livre circulação de pessoas e bens entre 22 países da UE - exceto Grã-Bretanha, Irlanda, Bulgária e Romênia -, além de Islândia, Noruega e Suíça, que não pertencem ao bloco.

Pressão

O Partido do Povo Dinamarquês (PPD), considerado de direita, vinha pressionando o governo a adotar o controle de fronteiras.

A medida foi negociada com o partido em troca de apoio para o plano do governo de reforma previdenciária.

A coalizão liberal-conservadora de governo da Dinamarca conta com o apoio do PPD para conseguir maioria parlamentar. O país deve conduzir eleições gerais em novembro.

Notícias relacionadas