Ciência e Tecnologia

Ônibus espacial Endeavour parte para última missão

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Tocar com outro programa

O ônibus espacial Endeavour foi lançado na manhã desta segunda-feira nos Estados Unidos, iniciando sua última missão.

O lançamento, no Centro Espacial Kennedy, no Estado da Flórida (sul do país), foi assistido por centenas de milhares de pessoas.

"A missão representa o poder do trabalho de equipe, comprometimento e exploração", disse o comandante da missão, Mark Kelly, pelo rádio momentos antes da decolagem.

"Está no DNA de nosso grande país chegar nas estrelas e explorar. Não podemos parar", acrescentou.

Decolagem do ônibus espacial Endeavour, na Flórida (AP)

A decolagem foi acompanhada por centenas de milhares

Kelly e a tripulação estão a caminho da Estação Espacial Internacional (EEI), onde devem chegar na quarta-feira.

O ônibus espacial leva um equipamento de US$ 2 bilhões de dólares, que será usado para experiências de física e é conhecido como Espectômetro Alfa Magnético (AMS, na sigla em inglês). Além disso, o Endeavour também leva peças de reposição para a estação espacial.

Entre os que assistiram a decolagem estava a esposa do comandante Mark Kelly, Gabrielle Giffords, a deputada do Estado americano do Arizona, baleada na cabeça no início do ano. Os médicos que cuidam de Giffords permitiram que ela viajasse até a Flórida para ver a decolagem de Kelly.

Futuro

Quando o Endeavour voltar de sua missão, o único ônibus espacial em atividade da frota da Nasa, a agência espacial americana, será o Atlantis. Mas, mesmo o Atlantis deverá fazer sua última missão em julho.

Após o final dos 30 anos do programa de ônibus espaciais, a Nasa deverá usar as cápsulas Soyuz, da Rússia, para levar seus astronautas para a Estação Espacial Internacional.

Além disso, várias companhias comerciais americanas também devem participar das viagens espaciais a partir do meio da década.

A Nasa vai comprar assentos nestes "táxis" de astronautas. Esta nova forma de levar tripulantes para o espaço deve representar uma grande mudança na forma como a agência espacial americana negocia, pois a Nasa não terá mais veículos próprios para chegar até a órbita baixa da Terra.

Este plano deve liberar recursos para que a Nasa construa um Sistema de Lançamento Espacial capaz de viajar além da Estação Espacial Internacional, para a Lua, asteroides e para Marte.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.