Londres anuncia trajetória da tocha olímpica de 2012 restrita à Grã-Bretanha

Campeão olímpico britânico Steve Redgrave carrega a tocha olímpica durante trajetória da tocha nos jogos de 2004 (PA) Direito de imagem PA
Image caption Corrida de revezamento percorrerá apenas a Grã-Bretanha

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Londres revelou nesta quarta-feira a trajetória que será realizada pela tocha olímpica entre 19 de maio de 2012 e 27 de julho de 2012, data da abertura dos Jogos de Londres.

Ao todo, 74 locações estão incluídas na trajetória de revezamento da tocha, que cobrirá todas as nações e regiões da Grã-Bretanha e incluirá visitas a seis ilhas que integram o país. Mas o percurso não envolverá outros países, diferentemente das últimas edições dos jogos, quando a tocha deu a volta no mundo.

A chama será acesa na Grécia, em Olímpia, utilizando um espelho parabólico que se vale dos raios de sol e será exibida em um revezamento ao longo da Grécia, para, em seguida, ser levada diretamente para a Grã-Bretanha.

A decisão do Comitê Olímpico Internacional (COI) em restringir ao país-sede o revezamento que marca a preparação para os Jogos se deu após os protestos realizados durante a passagem internacional da tocha, na última Olimpíada, de Pequim, em 2008.

Dublim, a capital da Irlanda, poderá ser a única cidade de outro país a ser incluída na corrida de revezamento, segundo divulgaram os organizadores.

Ao todo, a tocha irá percorrer um total de 12.800 quilômetros ao longo de 70 dias.

O comitê organizador disse que o percurso permitirá que a chama olímpica esteja, em diferentes momentos, a uma distância de, no máximo, uma hora de viagem de 95% dos moradores do país.

A seleção das pessoas que levarão a tocha - que os organizadores chamam de ''portadores da tocha inspiradores'' - terá início nesta quarta-feira.

Trajeto

A tocha sairá de Land's End, na Cornualha, na manhã do dia 19, após ter sido trazido da Grécia.

Entre as cidades incluídas no percurso da tocha estão Bristol, Cardiff, Liverpool, Belfast, Glasgow, Aberdeen, Newcastle, Manchester, Sheffield, Nottingham, Oxford, Southampton e Dover.

A tocha está sendo projetada por dois designers de Londres, Edward Barber e Jay Osgerby, e em junho deverá ser apresentada ao público.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Revezamento foi revivido na era moderna nos Jogos de Berlim

O trajeto da chama olímpica durará uma média de 12 horas por dia. E chegará ao Estádio Olímpico em 27 de julho, para a cerimônia de abertura. O fogo será usado para acender a pira olímpica.

O comitê olímpico disse que a rota incluirá também visitas às ilhas de Man, Guernsey, Jersey, Shetland, Orkney e Lewis, todas parte do território britânico.

Os organizadores também discutem a possibilidade de levar a tocha a Dublim, a capital da Irlanda.

A expectativa é de que milhares de pessoas prestigiem o revezamento da chama olímpica, e estão sendo planejadas apresentações e shows musicais em 66 dos 70 dias do evento.

''Durante as escalas feitas à noite, haverá uma atmosfera festiva, com palcos montados e a oportunidade de exibir talentos locais'', afirma o ex-atleta e campeão olímpico, Sebastian Coe, presidente do comitê organizador.

Os organizadores afirmam que além das 74 locações já escolhidas, a chama também percorrerá ainda locais famosos por sua beleza natural, além de centros esportivos e comunitários.

Histórico

A origem da corrida de revezamento da tocha remete à Grécia antiga, onde mensageiros eram enviados de Olímpia para anunciar as datas da competição e para pedir a interrupção de conflitos militares durante os Jogos.

O revezamento foi revivido na era moderna durante os Jogos de Berlim de 1936, e desde então passou a ser o evento que marca a abertura dos Jogos Olímpicos.

Notícias relacionadas