União Europeia abre escritório em reduto de rebeldes na Líbia

Ashton em Benghazi neste domingo (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Ashton diz que UE tem planos 'de longo prazo' com rebeldes líbios

A chanceler da União Europeia, Catherine Ashton, abriu neste domingo um escritório do bloco europeu em Benghazi, cidade bastião dos rebeldes na Líbia.

Ahston defendeu o Conselho Nacional de Transição – grupo formado pela oposição líbia -, que, segundo ela, representa as aspirações da população da Líbia e receberá o amparo da União Europeia.

Sua visita a Benghazi representa um importante apoio ao Conselho de Transição em sua busca por reconhecimento internacional, enquanto os rebeldes combatem o regime do líder líbio Muamar Khadafi.

Por enquanto, os rebeldes obtiveram o reconhecimento diplomático de França, Gâmbia e Itália. Esses países veem o Conselho Nacional de Transição da Líbia como representante no país até que sejam realizadas eleições, na eventualidade de ser derrubado o regime de Khadafi.

Já os Estados Unidos, no último dia 13, disseram em comunicado que os rebeldes líbios são “interlocutores legítimos e críveis” de seu povo, mas não chegaram a reconhecê-los como governo.

Durante sua visita a Benghazi, Ashton disse que a UE tem planos “de longo prazo” com os rebeldes, que chamou de “pessoas com as quais temos um forte diálogo”.

“O que podemos oferecer é apoio às instituições e à economia da Líbia. Estamos aqui para apoiá-los até o fim”, declarou.

Reação de Khadafi

Em resposta, o governo de Khadafi disse que a abertura do escritório europeu em Benghazi representava o “reconhecimento de uma entidade ilegítima”.

“Isso terá repercussões no relacionamento da Líbia com diversos países e instituições da UE”, afirmou comunicado da Chancelaria líbia.

Os desdobramentos diplomáticos ocorrem simultaneamente a confrontos entre rebeldes e tropas de Khadafi na Líbia, enquanto a Otan (aliança militar ocidental) realiza ataques aéreos.

As tropas do regime continuam entrincheiradas na capital Trípoli e no oeste do país.

Notícias relacionadas