Dilma determina suspensão de material de kit contra a homofobia

A presidente Dilma Rousseff determinou nesta quarta-feira que seja suspensa a produção de materiais sobre homofobia pelos ministérios da Saúde e da Educação.

O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, disse que Dilma não gostou do tom dos vídeos relacionados ao kit contra a homofobia, que seria distribuído a 6 mil escolas de ensino médio do país.

Carvalho afirmou, segundo a Agência Brasil, que, por decisão da presidente, "todo material sobre costumes será feito a partir de consultas mais amplas à sociedade", inclusive a integrantes da Igreja Católica e de cultos evangélicos.

Cerca de 30 congressistas da bancada religiosa se encontraram com Carvalho nesta quarta-feira. Os parlamentares contestaram o conteúdo do material relacionado à campanha do governo.

O kit de combate à homofobia foi elaborado por entidades de defesa dos direitos humanos e da população LGBT (lésbicas, hays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros), devido à constatação de que falta material adequado e preparo dos professores para tratar do tema.

Três vídeos relacionados à campanha vazaram pela internet, provocando polêmica e críticas devido a seu conteúdo. Parlamentares da bancada religiosa alegaram que o material fazia apologia da homossexualidade.

O material ainda estava em fase de análise pelo governo. Na semana passada, o ministro da Educação, Fernando Haddad, defendeu o projeto, afirmando que a violência contra o público gay é muito grande e que a educação é direito de todos.

Mesmo com as críticas, os kits tiveram parecer favorável da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (Unesco), para quem o material contribui para a redução do estigma e da discriminação contra os gays.