Rival de Blatter desiste de concorrer à presidência da Fifa

Sepp Blatter (esquerda) Mohammed Bin Hammam/AFP Direito de imagem BBC World Service
Image caption Blatter (esquerda) e bin Hamman trocaram acusações de corrupção

O presidente da Confederação Asiática de Futebol, Mohamed Bin Hamman, retirou neste sábado sua candidatura à presidência da Fifa, um dia antes de enfrentar uma audiência com o comitê de ética da entidade sobre alegações de corrupção.

Ele concorreria com o atual presidente da Fifa, Sepp Blatter, nas eleições marcadas para a próxima quarta-feira.

"Me entristece que defender causas em que acredito custe um preço tão alto: a degradação da reputação da Fifa", disse ele por meio de um comunicado.

"Isto não é o que tinha em mente para a Fifa, nem é aceitável. Não posso permitir que o nome que amo seja arrastado mais e mais para a lama por causa da competição entre duas pessoas."

"O futebol e as pessoas que o amam no mundo todo vêm em primeiro lugar. É por isso que anuncio minha retirada da eleição presidencial", completou.

Na semana passada, a Fifa viveu um dos períodos mais conturbados de sua história, com alegações de corrupção envolvendo vários de seus dirigentes.

Após ser acusado de corrupção, Hamman pediu para que Blatter também fosse investigado.

O comitê de ética da Fifa poderia suspender qualquer um dos candidatos se julgasse que havia motivos para uma investigação, excluindo assim este possível candidato da disputa presidencial.

Leia mais sobre a crise da Fifa envolvendo acusações de corrupção

Notícias relacionadas