Comissão da Câmara aprova convocação de Palocci

Deputados de oposição aprovaram nesta quarta-feira a convocação do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, para prestar esclarecimentos sobre sua evolução patrimonial e sobre os clientes de sua empresa de consultoria.

A convocação foi proposta pelo deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e aprovada na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara. A data da audiência com Palocci ainda não foi definida.

O governo ainda pode reverter a decisão tomada pelo presidente da Comissão, Lira Maia (DEM-PA), ou então transformar a convocação em um convite, o que tornaria a presença do ministro não obrigatória.

O jornal Folha de S.Paulo noticiou que o patrimônio no ministro se multiplicou por 20 entre 2006 e 2010, período no qual abriu uma empresa de consultoria, a Projeto.

A Folha também informou que Palocci ganhou R$ 20 milhões somente no ano passado, com trabalhos para clientes que não revelou. No período, ele atuou como coordenador de campanha de Dilma Rousseff e, depois, como integrante do grupo de transição.

Palocci diz que sua evolução patrimonial se deu devido a seu trabalho como consultor. Ele alega que cláusulas de confidencialidade nos contratos da Projeto impedem a revelação de seus clientes.

A liderança do PSDB na Câmara chegou a levantar suspeitas sobre pagamentos de R$ 9,2 milhões feitos pela Receita Federal, referentes à restituição de Imposto de Renda de 2008, à construtora WTorre, durante as eleições do ano passado.

A empresa, que fez doações à campanha de Dilma, já admitiu ter contratado os serviços de Palocci enquanto consultor.