Belgas vítimas de pedofilia querem processar Vaticano

Roel Verschueren, que representa as vítimas belgas (Foto: Reuters) Direito de imagem Reuters
Image caption Vítimas alegam negligência por parte da igreja e da Santa Sé

Dezenas de belgas que dizem ter sido abusados sexualmente por padres católicos pretendem mover uma ação judicial contra o Vaticano.

Eles acusam a Santa Sé e a Igreja Católica belga de negligência e de terem feito vista grossa aos abusos.

Na última segunda-feira, a igreja belga afirmou estar disposta a pagar uma indenização a vítimas abusadas por clérigos.

Desde o ano passado, foram registrados na Bélgica cerca de 500 casos de suposto abuso sexual envolvendo membros da Igreja Católica.

Advogados representando cerca de 70 pessoas disse que uma notificação será enviada a autoridades do Vaticano e a bispos belgas, convocando-os a uma corte na cidade de Ghent.

O processo está sendo traduzido ao idioma italiano antes de ser encaminhado ao Vaticano.

‘Palavras’

Christine Mussche, uma dos advogados de acusação, disse que a oferta de indenização por parte da igreja belga é positiva, mas “nada além de palavras” até o momento.

Um dos acusadores é Roel Verschueren, jornalista e escritor que disse que “nós (as vítimas) estamos vivendo há anos com uma igreja em negação (dos fatos). Agora, vamos mudar essa situação”.

Até a noite desta quarta, o Vaticano não havia se pronunciado sobre o caso.

Uma comissão independente relatou no ano passado que todas as dioceses da Bélgica registraram casos de abusos sexual durante décadas. Mas o relatório não encontrou indícios de acobertamento desses casos por parte da igreja.

No ano passado, um homem que se disse vítima de um padre pedófilo americano também deu início a um processo legal contra o papa Bento 16 e o Vaticano em uma corte federal dos Estados Unidos.

Notícias relacionadas