Polícia recupera laptop graças a programa que envia localização e fotos para o dono

Joshua Kaufman (Foto: AP) Direito de imagem AP
Image caption Joshua passou meses 'assistindo' a estranho em seu laptop

A polícia da Califórnia recuperou um laptop roubado graças a um programa que envia os dados de localização do suspeito para o dono, junto com fotos tiradas a partir da sua webcam.

Um taxista de 27 anos foi indiciado por posse ilegal de propriedade roubada. O computador havia sido furtado em março do apartamento do dono, o designer de programas de interatividade Joshua Kaufman.

"Estou tão feliz de tê-lo recuperado. E também aliviado que não tenha de assistir enquanto alguém usa o meu velho computador", afirmou Kaufman à BBC.

O programador tinha instalado em seu Mac um programa chamado Hidden, que coleta as informações de localização, faz imagens da tela e tira fotos na webcam a partir do momento em que o roubo é registrado. O material é enviado para o dono.

O caso ganhou a atenção da imprensa americana por causa do aparente desinteresse da polícia de Oakland, CA, que demorou a agir mesmo com a enxurrada de evidências que o programa enviava.

As fotos mostraram um homem de barba rala e cabelo desgrenhado dormindo no sofá e assistindo a vídeos no YouTube.

Uma das imagens da tela registra as informações do suspeito apagando o perfil de Kaufman do MacBook e acessando a sua própria conta de email.

Direito de imagem thisguyhasmymacbook
Image caption Muthanna Aldebashi foi indicado por posse ilegal do laptop roubado

"Na verdade, não era muito interessante. A maior parte das fotos era bem chata – só um sujeito olhando fixamente para a tela, ou dormindo, ou assistindo a vídeos na cama", disse Kaufman.

<b>Campanha</b>

Para chamar a atenção, o designer de programas começou a postar as fotos e as informações em um blog, thisguyhasmymacbook, e uma conta no Twitter.

A estratégia funcionou. Na terça-feira, um produtor do programa de entretenimento Good Morning America, da rede de TV ABC, contatou a polícia de Oakland para obter informações mais recentes sobre o caso de Kaufman.

A policial que atendeu o programa, Holly Joshi, descobriu que a queixa havia sido classificada por engano junto com os casos sem pistas existentes.

Três horas mais tarde, segundo relatou Kaufman no blog, a polícia usou o email do taxista Muthanna Aldebashi para agendar uma corrida falsa com a empresa na qual ele trabalhava e efetuar a prisão.

Aldebashi não foi indiciado pelo roubo em si, mas admitiu ter conhecimento de que o laptop era roubado.

Direito de imagem thisguyhasmymacbook
Image caption Para Joshua, fotos de Aldebashi eram 'bem chatas'

"Estamos sempre buscando na tecnologia maneiras mais inteligentes de capturar os criminosos e solucionar os crimes", disse a policial Joshi à BBC. "Isto representa uma tecnologia que pode ser útil para nós."

O responsável pelo Hidden, Toby de Havilland, disse à BBC que o caso também atraiu boa publicidade para o programa.

"As pessoas começaram a dizer que era uma campanha ‘'viral' nossa", disse. "Definitivamente percebemos um aumento (no interesse pelo produto)."