Portugueses vão às urnas em meio a recessão econômica

Eleitor se identifica para votar em Lisboa. Direito de imagem Reuters
Image caption Portugueses podem escolher partido de oposição para o novo governo

Os portugueses vão às urnas neste domingo para escolher um novo governo, que terá que implementar o pacote econômico que prevê uma ajuda financeira de 78 bilhões de euros ao país.

Mergulhado em uma forte crise econômica, Portugal terá que reformar seu sistema público de saúde e implementar um programa de privatizações em troca da ajuda financeira, negociada com os países da União Europeia.

Pesquisas de opinião sugerem que o Partido Social Democrata (PSD), de centro-direita tem vantagem sobre o Partido Socialista, atualmente no poder.

O PSD tem 37% das intenções de votos, contra 31% dos socialistas. No entanto, a vantagem não é suficiente para ser considerada maioria.

Analistas dizem que, para obter a maioria, o PSD poderá tentar fazer uma aliança com o Centro Democrático Social (CDS), que está em terceiro lugar.

Todos os principais partidos concordaram com o pacote de ajuda financeira, que exigirá medidas de austeridade no país.

O líder socialista José Sócrates renunciou ao cargo de primeiro-ministro em março, abrindo caminho para novas eleições depois que a oposição parlamentar rejeitou um plano de medidas de austeridade proposto pelo governo socialista – o segundo em menos de um ano.

Desde então, ele governou como primeiro-ministro interino.

Crise

Portugal enfrenta uma taxa de desemprego superior a 12% e uma economia que deve contrair 2% neste ano e no próximo.

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, disse na última semana que era o candidato preferido dos países que doarão dinheiro a Portugal.

"Nós vamos cortar o desperdício e os excessos do estado, ao mesmo tempo em que encontraremos uma maneira de fazer com que os mais necessitados tenham o que precisam", disse Coelho a seus partidários.

José Sócrates acusa os social-democratas de terem uma "agenda de direita radical" e critica Passos Coelho por sua falta de experiência no governo.

"Se você acha que programas sociais são importantes, vote no Partido Socialista porque nossas políticas asseguram o estado de bem estar social", disse o candidato em um comício, na última sexta-feira.

Leia mais na BBC Brasil: Intenções de voto nas eleições parlamentares sinalizam mudança na política de Portugal

O próximo governo terá que implantar reformas fiscais e sociais amplas e urgentes, incluindo mais medidas de austeridade para restaurar a saúde fiscal do país e encorajar o crescimento econômico.

Os termos do acordo de ajuda financeira incluem aumento dos impostos, congelamento de aposentadorias e cortes nos benefícios dos funcionários.

Notícias relacionadas