Agência nuclear da ONU denuncia Síria ao Conselho de Segurança

AP Direito de imagem BBC World Service
Image caption Local onde a Síria teria construído a usina foi bombardeado por Israel

A Agência Internacional de Energia Atômica (AEIA), um órgão ligado às Nações Unidas, decidiu nesta quinta-feira denunciar a Síria ao Conselho de Segurança da ONU pela suposta falta de transparência do país em relação a seu programa nuclear.

Em um encontro na sede de agência, em Viena, representantes de 17 países votaram a favor da decisão e seis contra, incluindo a Rússia e a China. Onze países se abstiveram e um esteve ausente.

A moção foi proposta pelos Estados Unidos e outros países ocidentais, que perguntaram à AIEA se a Síria não estaria em falta com suas obrigações internacionais.

A Síria é acusada de não ter notificado a construção de um reator nuclear na localidade de Deir Alzour.

O Conselho de Segurança da ONU já havia começado na quarta-feira a analisar uma proposta de resolução condenando a violência do governo do país na repressão de manifestações pró-democracia.

Leia mais na BBC Brasil sobre a proposta sendo analisada na ONU

Bombardeio

"A aparente tentativa secreta e não declarada da Síria de construir um reator de plutônio sem uma proposta pacífica clara representa uma das violações mais sérias possíveis", disse o embaixador americano Glyn Davies, segundo a agência AFP.

"O reator foi construído com a proposta de produzir plutônio para uso possível em armas nucleares", disse ele.

A Síria afirma que o local, destruído por um bombardeio israelense em 2007, não é uma instalação militar ou nuclear.

A AIEA começou a investigar o caso em 2008, mas a Síria se recusa a cooperar, tendo permitido apenas uma única visita de inspetores neste período.

Acordo

O embaixador sírio para a AIEA criticou a decisão como “lamentável” e disse que país honra suas obrigações.

A Síria é signatária do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, que dá o direito de enriquecer combustível para energia nuclear pacífica, sob inspeção da AIEA.

Signatários do acordo devem comunicar à agência a construção de qualquer instalação nuclear.

O ultimo país levado pela AIEA ao Conselho de Segurança foi o Irã, em fevereiro de 2006. O órgão pode impor sanções e aprovou quatro rodadas delas contra Teerã desde então.

No entanto, muitos diplomatas acreditam que Rússia e China vetariam tentativas de aplicar sanções contra a Síria.

Leia também: Turquia diz que 2,4 mil sírios cruzaram a fronteira temendo violência

Notícias relacionadas