De olho em avanço do Exército, refugiados sírios aguardam na fronteira com Turquia

Refugiados sírios em campo da Cruz Vermelha perto da fronteira (AFP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Turquia já recebeu milhares de refugiados da Síria

Centenas de sírios estão reunidos na fronteira norte do país, próximos da Turquia, se preparando para cruzar para o país vizinho se o Exército avançar ainda mais na região, depois da tomada da cidade de Jisr al-Shughour.

Fontes militares da Síria informaram à BBC que o Exército planeja entrar na cidade próxima de Maarat al-Numan e acrescentaram que os militares estão perseguindo homens armados que escaparam da ofensiva do final de semana. Segundo a imprensa oficial ocorreram confrontos violentos na área.

A ONU informou que mais de 5 mil refugiados sírios já estão na Turquia.

Segundo o correspondente da BBC Owen Bennett-Jones, que está do lado turco da fronteira com a síria, centenas de outros refugiados estão aguardando do lado sírio para cruzar a fronteira, muitos dormindo em seus carros, outros acompanhados de seus animais de criação, como ovelhas e gado.

Alguns aguardam o próximo avanço do Exército para cruzar a fronteira ou a chegada de familiares.

Bombardeio

Ativistas de ONGs disseram que o Exército lançou bombas sobre Jisr al-Shughour na manhã de domingo. Helicópteros foram vistos sobre a cidade.

Mas, falando à BBC, um general do Exército sírio negou o bombardeio e acrescentou que os soldados estavam apenas atrás dos responsáveis pelas mortes de membros das forças de segurança no começo da semana.

O Exército agora tem o controle da região.

Um correspondente do serviço árabe da BBC que está junto com os militares sírios afirmou que tanques e veículos blindados tomaram pontos dentro da cidade. Há marcas de combates em prédios de Jisr al-Shughour; campos de trigo foram queimados.

A imprensa oficial síria informou que apenas dois "membros armados de gangues terroristas" foram mortos na ofensiva; segundo o Exército, um soldado foi morto e quatro ficaram feridos.

Um porta-voz militar disse ao correspondente da BBC que uma operação militar foi montada para capturar os homens armados que fugiram de Jisr al-Shughour para Maarat al-Numan.

Acesso

Autoridades dos Estados Unidos afirmam que a operação militar na Síria criou uma crise humanitária e pediram que o Comitê Internacional da Cruz Vermelha tenha acesso ao país.

"Ninguém sabe o alcance real do problema e esta é uma questão importante, pois (o governo sírio) não nos permite saber o tamanho do problema para então tomar providências", disse o porta-voz da Cruz Vermelha Hicham Hassan à BBC.

No lado turco da fronteira, dois campos já estão lotados de refugiados e um terceiro está sendo tomado rapidamente.

"A situação é difícil. As pessoas foram obrigadas a fugir com poucos objetos. Estamos contando com as autoridades turcas para tudo", disse à BBC um dos refugiados que estão na região de fronteira e se identificou apenas pelo nome de Mohammed.

"Ninguém sabe quando será seguro voltar para nossas casas. Quanto voltarmos, as pessoas acham que vão encontrar as casas destruídas e corpos não enterrados."

Os protestos contra o presidente Bashar al-Assad, que em 2000 substituiu seu pai, Hafez, no cargo, começaram no meio do mês de março e se espalharam pelo país.

Grupos de defesa dos direitos humanos afirmam que mais de 1,2 mil pessoas foram mortas na repressão aos protestos no país desde então.

Notícias relacionadas