Em visita histórica, Obama se diz comprometido com sucesso de Porto Rico

AFP Direito de imagem AFP
Image caption Para analistas, foco da visita são os porto-riquenhos que votam nos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou nesta terça-feira a Porto Rico para uma visita oficial histórica – a primeira de um líder americano à ilha em 50 anos.

Na capital, San Juan, Obama disse aos porto-riquenhos que está comprometido com o sucesso e com a autodeterminação do território. "Quando o povo de Porto Rico tomar uma decisão clara, o meu governo vai apoiá-lo", afirmou o presidente.

Em sua breve passagem de cinco horas por Porto Rico, Obama mirou não tanto nos habitantes da ilha, já que esses, apesar da cidadania americana, não votam nas eleições presidenciais.

O foco de Obama, segundo analistas políticos, está nos mais de 4 milhões de porto-riquenhos que vivem nos Estados Unidos e, portanto, são eleitores, podendo influenciar a escolha do próximo presidente americano.

Segundo estatísticas recentes, hoje o número de porto-riquenhos nos Estados Unidos já supera em quase 1 milhão de pessoas a população total da ilha.

Esses eleitores, acredita-se, podem ter um papel definitivo na conquista de Estados cruciais no pleito presidencial de 2012, como a Flórida – onde vivem mais de 800 mil porto-riquenhos.

A visita também faz parte de um esforço mais amplo por parte de Obama de cortejar a população hispânica em geral, que foi decisiva para sua eleição em 2008, mas tem se mostrado decepcionada pela demora do presidente em cumprir algumas promessas de campanha, como a reforma das leis de imigração.

Status

O último presidente a fazer uma visita oficial a Porto Rico foi John Kennedy, em 1961. Depois disso, outros presidentes americanos passaram pela ilha, mas não em visitas oficiais.

A viagem de Obama ocorre poucos meses depois de uma força-tarefa instituída pelo presidente ter apresentado um relatório sobre Porto Rico e sugerido a realização de um novo plebiscito sobre o status político da ilha, que atualmente é um território autônomo dos Estados Unidos.

No referendo sugerido pela força-tarefa, que seria realizado no final de 2012, os habitantes decidiriam se a ilha deve ser parte dos Estados Unidos, tornando-se o 51º Estado, ou ganhar a independência.

Em consultas anteriores, os porto-riquenhos optaram por manter seu status de Estado Livre Associado dos Estados Unidos.

O governador de Porto Rico, o republicano Luis Fortuño, disse que pretende conversar com Obama sobre o tema do status político que, segundo ele, precisa ser resolvido “de uma vez por todas”.

Notícias relacionadas