Voos voltam ao normal com reabertura de aeroportos de Buenos Aires e Montevidéu

Passageiros dormem no aeroporto Jorge Newbery, na Argentina (AP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Muitos passageiros dormiram nos aeroportos da Argentina

Os dois principais aeroportos de Buenos Aires, aeroporto internacional de Ezeiza e o Jorge Newbery (Aeroparque), e o aeroporto internacional de Montevidéu estão abertos para pousos e decolagens, depois dos cancelamentos registrados desde domingo devido às cinzas do vulcão chileno Puyehue.

Segundo informações dos aeroportos argentinos, voos das companhias aéreas brasileiras TAM e GOL aterrissaram e decolaram nesta quarta-feira em Ezeiza e Aeroparque com destino ao Rio de Janeiro e a São Paulo.

Mas no site dos aeroportos foi publicada uma advertência orientando os passageiros a ligarem para a Administração Nacional de Aviação Civil (Anac) da Argentina e para as empresas aéreas, já que alguns voos podem ter sido remarcados.

Dos 41 voos que aterrissaram no aeroporto de Ezeiza até a manhã desta quarta-feira, cinco foram cancelados. As companhias aéreas LAN e Aerolíneas Argentinas informaram que voltavam a operar pela manhã, o que já tinham feito as empresas brasileiras.

Montevidéu

O aeroporto de Montevidéu também opera quase normalmente. Dos 18 voos que decolaram na manhã desta quarta, apenas três foram cancelados.

Muitos passageiros que lotavam o saguão esperavam para embarcar desde domingo, quando o espaço aéreo uruguaio voltou a ser fechado.

Segundo o jornal Clarín. mais de mil passageiros argentinos estavam no aeroporto de Miami desde domingo, aguardando a reabertura dos aeroportos de Buenos Aires.

Os voos continuam suspensos para as principais cidades da Patagônia, como Bariloche, na província de Rio Negro, e Villa La Angostura, na província de Neuquén.

As operações aéreas para estas cidades foram canceladas logo depois que o vulcão entrou em erupção, no dia 4 de junho.

Segundo a Secretaria de Turismo de Bariloche, a expectativa é que os voos sejam retomados no dia 21 de junho.

Já os funcionários do Departamento Municipal de Promoção de Turismo (Emprotur) disseram à BBC Brasil que esperam que o aeroporto de Bariloche esteja liberado depois do dia 30 de junho.

"Estamos monitorando a situação a cada momento. Tudo depende do comportamento das cinzas e dos ventos."

A situação é mais critica em Villa la Angostura, que está a 40 quilômetros do vulcão. Ali, casas, hotéis, lagos, piscinas, ruas e estradas foram cobertos pelas cinzas.

O fornecimento de luz também foi afetado e as imagens pouco lembram o destino turístico que atrai principalmente as classes altas do país e do exterior.

“Ninguém governa o vulcão. Por isso, não podemos falar sobre prazos ou datas de quando a situação estará normalizada. Enquanto o vulcão continuar em atividade, não podemos prever quando a nossa temporada de inverno começará com certeza. É uma situação difícil”, disse Ricardo Alonso, prefeito de Villa La Angostura.

Notícias relacionadas