Grécia: novo governo e apoio de Sarkozy e Merkel animam mercados

Evangelos Venizelos Direito de imagem AP
Image caption Evangelos Venizelos é ex-adversário do premiê Papandreu

Os mercados de ações europeus registraram uma alta nesta sexta-feira, após caírem levemente pela manhã, depois da reorganização do gabinete de governo da Grécia e de declarações de outros países europeus que estimularam o otimismo sobre uma resolução rápida para a crise no país.

Às 14h10 de Frankfurt (9h10 de Brasília), a bolsa local registrava uma alta de 1,57%. No mesmo horário, o índice Cac 40, da bolsa de Paris, tinha uma alta de 1,3%, enquanto o índice FTSE 100, da bolsa de Londres, subia 0,59%.

No final da tarde, o índice Dax, de Frankfurt, e o Cac 40, de Paris, fecharam em alta de 0,8%. Já o FTSE 100, de Londres, fechou em alta de 0,3%.

O otimismo se estendeu também a Nova York, com o índice Dow Jones registrando alta de 0,7% no pregão da manhã.

Os acontecimentos desta sexta-feira ajudaram a elevar a esperança de que o governo grego consiga cumprir os requisitos para receber uma ajuda externa de 12 bilhões de euros e honrar com os pagamentos de sua dívida pública.

Em uma declaração conjunta na manhã desta sexta-feira, a chanceler (premiê) alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro da França, Nicolas Sarkozy, pediram que um novo pacote de resgate para a Grécia seja aprovado o mais rapidamente possível.

Os investidores temiam que as possíveis divergências entre os líderes das duas principais economias da União Europeia dificultassem um acordo para o resgate da Grécia.

Analistas avaliam que a Grécia precisa urgentemente de um novo pacote de ajuda para não ser obrigada a declarar uma moratória no pagamento de sua dívida, o que poderia contagiar a economia dos demais países da União Europa e até mesmo provocar uma nova crise de crédito global.

Novo governo

O primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, promoveu nesta sexta-feira uma reformulação em seu governo, indicando, entre outros, um novo ministro da Economia. O cargo será assumido pelo ex-ministro da Defesa Evangelos Venizelos.

O novo titular da Economia é um veterano do Partido Socialista de 54 anos, e assume o cargo em meio a uma série de protestos de rua e greves contra as severas medidas de austeridade econômica adotadas pelo governo.

Ele substituirá George Papaconstantinou, de 49 anos, que vinha sofrendo fortes críticas por não ter conseguido impulsionar a economia grega após 18 meses no cargo.

O governo grego está tentando promover cortes equivalentes a 28 bilhões de euros (cerca de R$ 63,5 bilhões) nos próximos quatro anos.

Os cortes são um pré-requisito para que o país possa receber o pacote de auxílio de 12 bilhões de euros por parte da União Europeia e do FMI.

A promoção de Venizelos, que também foi indicado para ser o novo vice-primeiro-ministro do país, ocorre pouco antes de um voto de desconfiança no Parlamento, previsto para ser realizado no domingo.

Reformulação

Venizelos foi um ex-adversário de Papandreou na disputa pelo comando dos socialistas.

Ele terá pela frente a tarefa de dar continuidade à implementação das duras e impopulares medidas que visam conter a forte crise econômica enfrentada pela Grécia.

O ex-ministro Papaconstantinou passará a ser o novo titular do Ministério do Meio Ambiente, substituindo uma das mais tradicionais aliadas de Papandreou, a ministra Tina Birbili.

O primeiro-ministro Papandeou dispensou ainda outro aliado próximo, o ex-ministro das Relações Exteriores Dimitris Doutras.

Notícias relacionadas