Menina de 9 anos diz ter sido sequestrada para realizar ataque suicida no Paquistão

Paquistanesa Sohana Jawed, de 9 anos (AP) Direito de imagem Reuters
Image caption Sohana Jawed teria sido raptada a caminho do colégio

Uma menina paquistanesa de nove anos de idade disse ter sido sequestrada e forçada a usar uma roupa com explosivos que seria usada em um suposto atentado suicida planejado por militantes.

De acordo com a polícia da província de Lower Dir, no Paquistão, a jovem Sohana Jawed teria sido sequestrada há vários dias em Peshawar e levada para uma área perto da fronteira afegã.

Sohana contou, durante uma entrevista coletiva realizada na segunda-feira, que foi forçada a vestir uma roupa cheia de explosivos e que teve de ficar ao lado de soldados, mas ela disse que jogou a roupa fora e saiu correndo.

Militantes no Paquistão constantemente recrutam meninos para realizar ataques suicidas, mas é incomum ver atentados praticados por meninas.

Rumo ao colégio

Sohana afirma que foi sequestrada por duas mulheres quando estava a caminho do colégio e obrigada a entrar em um carro em que estavam dois homens.

Um dos sequestradores teria colocado um lenço sobre a sua boca e ela ficou inconsciente.

Quando ela acordou e começou a chorar, uma das mulheres lhe deu alguns biscoitos. Ela conta ter voltado a ficar inconsciente após ter comido os biscoitos.

A jovem disse que quando acordou novamente, estava dentro de uma casa.

"De noite, eles me davam biscoitos, e me botavam para dormir novamente. Quando eu acordava pela manhã, eles colocavam essa coisa em mim'', afirmou.

Explosivos

O agente policial Salim Marwat disse à agência de notícias AP que a roupa continha 9 quilos de explosivos.

Segundo o policial, os explosivos provavelmente iriam ser detonados por meio de controle remoto.

Os sequestradores teriam levado a menina para um posto de controle militar perto de Timergarah, a principal cidade de Lower Dir.

Ela conta que começou a chorar e a gritar ao se aproximar do posto de controle e que jogou a roupa fora.

"Consegui soltar a minha mão da mão da mulher e então corri," disse Sohana.

A polícia conta ter lançado uma investigação para encontrar os sequestradores.

Notícias relacionadas