Gêmeos desistem de disputa legal com Facebook

Irmãos Winklevoss/AFP Direito de imagem AFP
Image caption Os gêmeos acusaram Zuckerberg de roubar a ideia para a criação do Facebook

Os irmãos gêmeos Cameoron e Tyler Winklevoss, ex-colegas na universidade americana de Harvard do fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, disseram que colocaram um ponto final em sua disputa legal com a rede social.

A disputa entre as partes inspirou o filme A Rede Social de 2010.

Eles haviam chegado a um acordo em 2008 para receber US$ 65 milhões (mais de R$ 103 milhões) em dinheiro e ações após acusar Zuckerberg de roubar sua ideia.

Mas em janeiro tentaram reabrir o caso alegando que deveriam ter recebido uma quantidade maior de ações.

Os gêmeos tentaram desfazer o acordo pelo qual receberam US$ 20 milhões em dinheiro e US$ 45 milhões em ações, atualmente avaliadas em mais de US$ 100 milhões.

Em abril, após um tribunal americano decidir que o acordo não poderia ser desfeito, os gêmeos disseram que levariam o caso para a Suprema Corte de Justiça dos Estados Unidos.

No entanto, na quarta-feira advogados dos irmãos afirmaram que não vão continuar a batalha legal, sem explicar os motivos da decisão.

Eles originalmente acusaram Zuckerberg de criar o Facebook usando uma ideia roubada sua quando os irmãos o contrataram para trabalhar em seu site, ConnectU, em 2003.

Zuckerberg sempre negou as acusações, mas concordou com o acordo de 2008 dizendo que assim terminaria com o que chamou de "litígio rancoroso".

Notícias relacionadas