Tribunal Penal Internacional emite mandado de prisão conta Khadafi

Rebeldes treinam em Zintan com tanque capturado das forças de Khadafi (Reuters) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Rebeldes afirmam ter avançado para novas posições

O Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu um mandado de prisão contra o líder líbio Muamar Khadafi, acusado de crimes contra a humanidade.

O tribunal, com sede em Haia, na Holanda, diz que Khadafi cometeu os crimes ao ordenar ataques contra civis após uma revolta popular em meados de fevereiro.

A corte também emitiu ordens de prisão contra dois dos principais assessores do líder líbio, o seu filho Saif al-Islam e o chefe de inteligência Abdullah al-Sanussi.

O mandado foi solicitado pelo promotor-chefe do TPI, Luis Moreno-Ocampo, em maio. Ele disse ter provas de que Khadafi "ordenou pessoalmente ataques contra cidadãos líbios desarmados e estava por trás da prisão e tortura de opositores políticos".

As autoridades líbias disseram previamente que não reconhecem o tribunal e que não estavam preocupados com a eventual emissão de mandados de prisão.

Avanço da oposição

Direito de imagem BBC World Service
Image caption TPI emitiu mandado de prisão contra Muamar Khadafi

O anúncio do TPI veio pouco após forças rebeldes na Líbia terem dito que conquistaram novas posições e estavam a cerca de 50 km da capital do país, Trípoli.

Um porta-voz dos rebeldes disse que houve confrontos violentos nas imediações da cidade de Bair-al-Ghanam, a sudoeste da capital, no domingo.

O ministro de Defesa do Conselho Nacional de Transição, Jalal el- Dighaily, disse à BBC que forças opostas ao líder líbio, Muamar Khadafi, podem também tentar entrar na capital pelo leste.

Segundo relatos da agência de notícias líbia, também houve novos ataques da Otan contra alvos em Trípoli. A missão internacional na Líbia está completando cem dias.

Na cidade, um porta-voz do governo, Moussa Ibrahim, disse que Khadafi continua no controle do poder no país.

Resistência

O correspondente da BBC Mark Doyle, que acompanha os rebeldes, disse que eles parecem estar consolidando suas posições, cada vez mais próximas da capital.

No entanto, eles vêm enfrentando forte resistência de forças leais ao regime de Muamar Khadafi, diz Doyle.

Antes dos novos avanços, quando os rebeldes lutavam a 80 km da capital, o porta-voz rebelde disse à agência de notícias Associated Press que a captura da cidade de Bir al-Ghanam seria um passo importante para uma futura invasão de Trípoli.

O ministro da Defesa dos rebeldes, Jalal al-Dgheli, disse à BBC que uma invasão pelo leste pode ocorrer nos próximos dias, apesar de muitos preferirem lançar um operação a partir das montanhas ocidentais do outro lado da cidade.

"Os desertores do regime nos dizem que o número de pessoas que apoiam Khadafi é cada vez menor, os que estavam próximos a ele o abandonam e seu círculo diminui diariamente", disse Al-Dgheli.

Notícias relacionadas