Saúde de jornalista da BBC preso no Tadjiquistão é frágil

Colegas de Usmonov fazem vigilia pelo jornalista, em Londres. Reuters Direito de imagem Reuters
Image caption Urunboy Usmonov foi preso após entrevistar membros de um movimento radical islâmico do país

O correspondente da BBC no Tadjiquistão, Urunboy Usmonov, preso pelas forças de segurança do país, está em frágil estado físico e mental, segundo relato um colega que o visitou na prisão.

Usmonov, de 59 anos, foi preso no início de julho, após encontrar membros de um grupo radical islâmico da região da Ásia Central para uma reportagem. Ele foi acusado de ligações com o terrorismo.

A BBC diz que as acusações contra Usmonov são infundadas e já pediu ao governo do Tadjiquistão a libertação imediata do jornalista.

Hamid Ismailov, também funcionário da BBC, disse ter ficado horrorizado com as condições de saúde de Usmonov. O jornalista tem problemas cardíacos e sofre de diabetes.

No último dia 22 de junho, funcionários da BBC fizeram uma vigília no centro de Londres, pedindo a libertação dele.

Censura

Grupos de defesa da liberdade de imprensa condenaram a prisão de Usmonov, considerando-a uma tentativa de censurar a cobertura de um tema que traz à tona sensibilidades políticas e religiosas na convulsionada Ásia Central.

Usmonov foi preso no ultimo dia 13 de junho. Sua casa foi vasculhada, e familiares relatam ter visto hematomas em sua face, durante sua prisão.

A União Europeia e os governos britânico e americano engrossaram os apelos para que o caso seja esclarecido.

Notícias relacionadas