Helicópteros da Otan matam militantes em telhado de hotel de Cabul após ataque

Fogo e fumaça sobre o telhado do Hotel Intercontinental em Cabul Direito de imagem Reuters
Image caption Fogo e fumaça podiam ser vistos sobre o telhado do Hotel Intercontinental, em Cabul

Helicópteros da Otan dispararam na madrugada desta quarta-feira contra militantes no telhado de um hotel da capital afegã, Cabul, após um ataque ao local com explosões suicidas e atiradores.

Três militantes foram mortos pelos disparos feitos por dois helicópteros da Otan no telhado do Hotel Intercontinental, em um enfrentamento que durou quase cinco horas.

Outros três militantes e pelo menos dez civis foram mortos durante o ataque terrorista ao hotel.

Um porta-voz do Talebã reivindicou o ataque para o grupo.

O Hotel Intercontinental é popular entre os estrangeiros em Cabul. Segundo as primeiras informações, nenhum hóspede foi ferido durante a ação.

Ao amanhecer, fumaça e fogo ainda podiam ser vistos no hotel.

Membros dos serviços de segurança afegãos disseram que seis militantes atacaram o hotel e que todos foram mortos.

Segundo o Ministério do Interior, os civis mortos no hotel eram funcionários afegãos.

Cenas de pânico

O ataque foi iniciado durante a noite da terça-feira, quando muitos hóspedes jantavam no restaurante do hotel.

No momento do ataque, também havia uma festa de casamento sendo celebrada no hotel, além de um encontro de governadores de províncias.

Segundo autoridades afegãs, a reunião de governadores pode ter sido o alvo dos ataques.

Membros do governo afegão disseram à BBC que um suicida se explodiu na frente do hotel e outro no segundo andar.

Testemunhas disseram que houve cenas de pânico, com hóspedes correndo em busca de um local seguro.

As tropas afegãs e a polícia cercaram o hotel e cortaram a energia elétrica do local.

Segundo o ministro do Interior, o corte da eletricidade foi intencional e as forças de segurança afegãs usavam equipamentos para visão noturna.

Ajuda

Disparos intensos e explosões no hotel podiam ser ouvidos a uma distância de até cinco quilômetros, segundo o correspondente da BBC em Cabul Bilal Sarwary.

Segundo a polícia, um militante foi morto quando as forças de segurança entraram no hotel.

Três militantes conseguiram se refugiar no telhado, e as autoridades afegãs pediram então a ajuda da Força de Assistência Internacional de Segurança (Isaf), a missão da Otan no país.

Segundo o major Tim James, porta-voz da Isaf, os militantes mortos pelos helicópteros da Otan sobre o telhado do hotel pareciam estar vestindo coletes com explosivos.

Um funcionário afegão disse ainda que os militantes tinham granadas de mão, lançadores de granadas e metralhadoras AK-47.

A ação terrorista também ocorreu na véspera do início de uma conferência sobre a transição das responsabilidades da Isaf para as forças de segurança afegãs.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos condenou o ataque, dizendo que ele demonstrou “o completo desprezo dos terroristas pela vida humana”.

Segurança forte

Segundo correspondentes locais, o Intercontinental é um dos hotéis com o mais forte esquema de segurança de Cabul.

A situação em Cabul era de calma e estabilidade nos últimos meses, apesar do aumento da violência em outras partes do país desde a morte do líder da Al Qaeda, Osama Bin Laden, por forças americanas no Paquistão, em 2 de maio, e pelo início da “ofensiva de primavera” do Talebã.

Em janeiro de 2008, militantes haviam tomado o hotel mais luxuoso de Cabul, o Serena, e mataram oito pessoas, incluindo um americano, um norueguês e uma filipina.

Notícias relacionadas