Grécia aprova lei que detalha pacote de austeridade

Parlamento grego Direito de imagem AFP Getty Images
Image caption Pacote era exigência para que Grécia recebesse novos empréstimos

O Parlamento da Grécia aprovou nesta quinta-feira uma lei que detalha como será implementado o pacote de austeridade que já havia recebido o respaldo dos parlamentares na quarta-feira e que abre caminho para que o país possa pagar suas dívidas com credores internacionais.

Mais da metade dos legisladores gregos - 155 deputados de um total de 300 - votaram pela aprovação desta segunda lei sobre o pacote, que contempla aumentos de impostos e cortes de gastos de cerca de 28 bilhões de euros (cerca de R$ 63 bilhões).

Com a aprovação, a Grécia concluiu o cumprimento de metas, estipuladas pelos países da zona do euro, para receber o restante do pacote de ajuda aprovado no ano passado pela União Europeia e pelo FMI - 12 bilhões de euros - e um novo pacote, que ainda está sendo negociado.

Leia mais na BBC Brasil sobre o pacote de ajuda à Grécia

Caso o pacote tivesse sido rejeitado, a Grécia corria o risco de ficar sem dinheiro em caixa dentro de algumas semanas, o que poderia tornar inevitável uma moratória de suas dívidas.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, afirmou que os bancos alemães pretendem seguir realizando empréstimos para a Grécia. Os credores franceses já haviam anunciado compromisso semelhante.

Schäuble afirmou que as instituições alemãs deverão emprestar um total de 3,2 bilhões de euros (cerca de R$ 7,2 bilhões) para os gregos.

Confrontos

Enfrentamentos entre manifestantes contrários ao pacote e forças de segurança voltaram a ser registrados ao longo da última madrugada na Praça Sintagma, em Atenas, em frente ao Parlamento grego.

A polícia jogou bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes, que responderam jogando pedras

A polícia havia restringido o acesso ao centro da cidade a fim de impedir que manifestantes obstruíssem a passagem de parlamentares que iam votar o pacote.

De acordo com o correspondente da BBC, alguns atenienses acusaram a polícia de usar táticas ''mão pesada'', e a imprensa chegou a afirmar que o governo estava promovendo ''uma orgia de terror estatal''.

Mas a calma parece ter sido restaurada, como contou correspondente da BBC em Atenas, Malcolm Brabant. Equipes de limpeza foram chamadas para a limpar a Praça Sintagma.

Entre as principais medidas do pacote estão a criação de uma agência de privatização; aumento de impostos; cortes na contratação de funcionários públicos e mudanças na seguridade social.

O ministro da Economia grego, Evangelos Venizelos, ofereceu algumas concessões em relação ao tema de impostos, um dos muitos contenciosos do conjunto de medidas recém-aprovadas.

Os sindicatos gregos convocaram protestos contra o pacote, manifestando oposição especialmente em relação à proposta de impor novas taxas sobre aqueles que ganham salário mínimo.

As autoridades europeias estão negociado os detalhes de um segundo pacote de ajuda para a Grécia, no valor de 120 bilhões de euros, que visa permitir que o país salde suas dívidas até 2014.

Notícias relacionadas