Brasil está pronto para apoiar Sudão do Sul, diz Patriota

Patriota em reunião no Departamento de Estado americano, Washington (Reuters/12 de julho de 2011) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Patriota afirmou que agricultura está entre prioridades das relações com Sudão do Sul

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse nesta quarta-feira, em Nova York, que a ONU e seus países-membros precisam apoiar ativamente o Sudão do Sul no processo de construção de uma nação "livre, democrática e pacífica", e que o Brasil está pronto para fazer a sua parte.

"O Brasil está pronto para cooperar com o Sudão do Sul em áreas que possam contribuir para seu desenvolvimento sustentável", disse o chanceler brasileiro, em discurso no Conselho de Segurança.

O pronunciamento foi feito logo após a reunião na qual o Conselho recomendou que o Sudão do Sul seja aceito como o 193º membro da ONU. A decisão final deverá ser tomada nesta quinta-feira, em uma votação na Assembleia Geral.

"Segurança e desenvolvimento estão intimamente interligados", afirmou Patriota.

"No momento em que tanto o Sudão quanto o Sudão do Sul continuam a enfrentar desafios em seu processo de construção, a comunidade internacional deve aumentar seu apoio tanto a Juba quanto a Cartum (as capitais dos dois países)", disse.

Agricultura

O novo país oficializou sua independência do Sudão no último sábado, após a decisão ter sido aprovada pela maioria da população em um referendo realizado em janeiro.

O Brasil enviou um representante para a cerimônia de independência, realizada na capital, Juba, e estabeleceu relações diplomáticas com o Sudão do Sul no mesmo dia.

Segundo Patriota, uma das prioridades nas relações bilaterais do Brasil com o novo país deverá ser a agricultura.

"Estamos convencidos de que a agricultura pode ter um papel crucial no futuro do Sudão do Sul", afirmou o ministro.

"Dado o potencial dos dois países, os esforços para promover o desenvolvimento rural no Sudão e no Sudão do Sul poderão beneficiar todo o nordeste da África, onde a segurança alimentar continua sendo um desafio", disse.

O Brasil já mantém projetos de cooperação em agricultura com o Sudão, em culturas como algodão e soja. O país também foi o primeiro da região a produzir e exportar etanol com tecnologia brasileira, em 2009.

Em seu discurso, o ministro pediu que os países que ainda não normalizaram relações econômicas com os sudaneses tomem medidas neste sentido.

Patriota disse ainda que os países devem aumentar seu apoio bilateral e multilateral à nova nação e observou que o Ibas (grupo formado por Índia, Brasil e África do Sul) já está negociando três projetos de cooperação para auxiliar o Sudão do Sul.

Notícias relacionadas