Rebekah Brooks responderá a perguntas no Parlamento britânico

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Rebekah Brooks: no centro de escândalo

A diretora-executiva do grupo News International, Rebekah Brooks, comparecerá ao Parlamento britânico na próxima terça-feira para responder a perguntas sobre o escândalo de grampos envolvendo jornais do grupo de Rupert Murdoch, na Grã-Bretanha.

Convidados a comparecer à sessão, Rupert e seu filho James disseram que não estarão disponíveis na terça-feira 19 de julho, com James dizendo que poderia ir ao Parlamento apenas no dia 10 de agosto.

Diante da negativa, um comitê parlamentar convocou os dois a comparecerem diante do grupo, mas como Rupert e James são cidadãos americanos, não podem ser forçados a ir.

A News Corporation, holding do grupo comandado pelo magnata Rupert Murdoch, está no centro de um escândalo de obtenção ilegal de informações na Grã-Bretanha.

O jornal News of the World, um dos títulos do grupo, foi fechado no último domingo devido a acusações de que teria grampeado telefones de familiares de vítimas de sequestro, dos atentados de 7 de julho de 2005, de famílias de soldados britânicos mortos em combate, e do ex-premiê britânico Gordon Brown, entre outras quatro mil pessoas.

Diante da intensa pressão de políticos, da imprensa e da opinião pública, Rupert Murdoch desistiu na quarta-feira de seguir com seus planos de adquirir a totalidade das ações da operadora de TV por assinatura BSkyB - da qual seu grupo possui 39%.

Nesta quinta-feira, o Comitê de Cultura, Mídia e Esporte convidou Rebekah Brooks - que era editora-chefe do News of the World à época em que as escutas teriam sido feitas - para responder a perguntas sobre o escândalo.

Em nota, os parlamentares disseram que havia "perguntas sérias" sobre provas apresentadas por Brooks e Andy Coulson (ex-editor-chefe do News of the World e chefe de comunicações do premiê David Cameron) durante audiência semelhante em 2003.

Também nesta quinta-feira, um homem de 60 anos foi preso em conexão com o escândalo dos grampos. A BBC tem informações de que o homem é Neil Wallis, ex-editor executivo do News of The World. Wallis foi preso pela manhã e levado para interrogatório em uma delegacia do Oeste de Londres, sob suspeita de conspirar para interceptar comunicações.

Wallis é a nona pessoa a ser presa desde que a Polícia Metropolitana de Londres lançou uma investigação sobre as escutas ilegais, em janeiro.

Notícias relacionadas