Milhares vão às ruas de Viena para funeral do último herdeiro do Império austro-húngaro

Funeral de Otto von Habsburgo Direito de imagem Getty
Image caption Corpo de Otto von Habsburgo ficará enterrado em Viena, mas coração irá para Hungria

O funeral do último herdeiro do Império austro-húngaro, Otto von Habsburgo, levou milhares de pessoas às ruas de Viena, neste sábado.

Os corpos de Habsburgo, ex-integrante do Parlamento europeu, e de sua esposa, que morreu no ano passado, ficarão enterrados na cripta imperial, na capital austríaca, mas o coração do herdeiro do Império será levado, no domingo, para uma abadia a oeste de Budapeste, na Hungria, seguindo uma tradição da família.

Vários integrantes da realeza europeia e líderes políticos participaram da cerimônia na Catedral de São Estevão, que também recebeu críticas por ser pomposa demais para uma república.

Herdeiro

Otto von Habsburgo morreu no início do mês, aos 98 anos.

Nascido em 1912, seis anos antes do colapso do Império austro-húngaro, no fim da Primeira Guerra Mundial, ele teve de passar décadas no exílio depois que sua família fugiu da Áustria, em 1919.

Em 1961, ele abriu mão de sua reivindicação como herdeiro do Império e, cinco anos depois, pôde retornar ao país.

Habsburgo foi oponente dos nazistas e criticou a anexação da Áustria pela Alemanha em 1938.

Piquenique

Direito de imagem AFP
Image caption Pompa do funeral na capital austríaca também recebeu críticas

Em 1989, ele ajudou a organizar uma manifestação conhecida como Piquenique Pan-Europeu na fronteira entre Áustria e Hungria.

A fronteira foi aberta brevemente, em um evento que foi visto como um incentivo à queda do muro de Berlim, meses depois.

Habsburgo se dedicou mais tarde a conseguir que os países do Leste europeu passassem a fazer parte da União Europeia.

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, prestou homenagem a ele, dizendo que Otto von Habsburgo "era um grande europeu que deu um importante impulso ao projeto europeu durante sua rica vida".

Já seu filho, Karl Habsburgo, disse que o pai testemunhou grandes mudanças na Europa ao longo da vida.

"Seria errado lembrar dele apenas no contexto da velha monarquia ou apenas no contexto da União Europeia. Eu acho que ele deve ser lembrado em todo o arco que sua vida foi criando...ao longo de todas as mudanças que ocorreram na Europa durante sua vida", disse ele.