Talebã diz que EUA grampearam seus celulares

Suposta foto do líder do Talebã, mulá Omar (AP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Porta-vozes do Talebã negaram morte do mulá Omar

Dois porta-vozes do Talebã afirmaram que seus telefones foram grampeados pelos EUA, que teriam enviado mensagens falsas anunciando a morte do líder da milícia, mulá Omar.

A notícia da morte do mulá Mohammed Omar foi divulgada em maio por alguns veículos de comunicação, incluindo um canal de televisão do Afeganistão.

Na época, autoridades americanas e do Paquistão - onde segundo as informações Omar teria sido morto - negaram as informações.

Um dos porta-vozes do Talebã, Zabihullah Mujahid, disse à agência de notícias Reuters que os EUA grampearam celulares do Talebã "com tecnologia avançada". Um site e e-mails da milícia também teriam sido afetados, segundo o porta-voz.

Mulá Omar está foragido há anos, apesar de ser alvo de uma das maiores buscas já realizadas pelos EUA. Acredita-se que ele ainda esteja liderando o Talebã.

A agência de notícias AFP afirmou que uma mensagem, vinda do telefone de Zabihullah Mujahid, anunciou a morte do mulá Omar.

O porta-voz da milícia negou a informação e disse que o Talebã vai "se vingar da operadora de celular".

Notícias relacionadas