Enfermeira é indiciada em caso de soro contaminado com insulina

A enfermeira Rebecca Leighton Direito de imagem
Image caption Rebecca Leighton foi acusada de negligência

Uma enfermeira britânica foi indiciada pela polícia, que investiga a morte de cinco pacientes em um hospital no norte da Inglaterra.

Rebecca Leighton, de 27 anos, é acusada de negligência e de causar dano com a intenção de colocar vidas em risco.

A polícia acredita que as cinco mortes foram causadas pela contaminação proposital de bolsas de soro fisiológico com insulina, o que pode reduzir o índice de açúcar no sangue.

Leighton foi detida na última quarta-feira, em meio às investigações pela morte de Tracey Arden, 44, Arnold Lancaster, 71, George Keep, 84, Derek Weaver, 83, e Vera Pearson, 84.

Há um outro paciente de 41 anos que está em estado crítico, em um caso que pode ter relação com Leighton. A polícia investiga também o tratamento oferecido a outros oito pacientes desde 7 de julho.

As autoridades suspeitam que o soro contaminado tenha sido usado em duas alas do hospital.

A direção do hospital disse que a equipe do local está “chocada” e “horrorizada” com o episódio.

O promotor Nazir Afzal disse que “as acusações são sérias, relacionadas a alegações de que Rebecca Leighton adulterou produtos médicos, colocando em perigo a vida de pacientes”.

Direito de imagem Greater Manchester Police
Image caption Três dos pacientes que teriam morrido devido ao soro contaminado

Baixos níveis de açúcar no sangue

Investigadores foram chamados ao hospital depois que um enfermeira experiente percebeu que havia, na ala em que ela trabalhava, um número acima da média de pacientes apresentando baixos níveis de açúcar no sangue sem uma explicação aparente.

Os policiais então encontraram um lote de 36 bolsas de soro contaminadas com insulina em um depósito.

A partir daí, vários policiais foram enviados para o hospital, e os funcionários tiveram de passar a trabalhar em dupla sempre que fossem checar ou administrar medicamentos.

Além disso, diretores do hospital têm realizado reuniões diárias com a polícia.

Notícias relacionadas