Macaco mandril cria ferramenta para pedicure

Atualizado em  22 de julho, 2011 - 08:17 (Brasília) 11:17 GMT

Player

Pesquisadores conseguiram filmar animal afinando galho para limpar sujeira acumulada debaixo da unha em zoológico britânico. (sem áudio)

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

Pesquisadores da Universidade de Durham, na Grã-Bretanha, conseguiram filmar um macaco mandril manipulando um pequeno galho para construir uma ferramenta para tirar a sujeira debaixo de suas unhas.

Os cientistas acreditam que o feito, observado no zoológico de Chester, no centro da Grã-Bretanha, sugere que os macacos são capazes de usar ferramentas mais avançadas do que se pensava anteriormente.

A gravação é parte de uma pesquisa publicada na última edição da revista científica Behavioural Processes.

Os macacos mandris são a quinta espécie de primatas da família Cercopithecidae, também conhecidos como macacos do velho mundo, a ser observada modificando deliberadamente materiais para produzir ferramentas.

Outros primatas não-humanos como chimpanzés e orangotangos também são capazes de adaptar ferramentas para tarefas específicas.

Um exemplo bastante conhecido desse comportamento é a pesca de cupins entre os chimpanzés, na qual os animais desfiam folhas de grama para produzir uma espécie de vara de pesca com a qual cutucam os cupinzeiros para recolher os insetos.

Habilidade exclusiva

Macaco Mandril

Os mandris são a quinta espécie de primatas não humanos observadas moldando ferramentas

"A diferença entre os macacos e os grandes primatas não é tão grande quanto pensávamos"

Riccardo Pansini, pesquisador da Universidade de Durham

"Essa é uma habilidade que, até alguns anos atrás, se acreditava ser exclusiva dos humanos", diz o coordenador do estudo, Riccardo Pansini.

Segundo ele, as novas descobertas indicam que a inteligência dos macacos também pode ter sido subestimada.

"A diferença entre os macacos e os grandes primatas não é tão grande quanto pensávamos em termos de uso de ferramentas e modificações de materiais", disse Pansini à BBC.

O pesquisador conseguiu captar a imagem do mandril fazendo "pedicure' durante um estudo sobre comportamento relacionado ao estresse entre os mandris de zoológicos.

O vídeo mostra um mandril macho manipulando um pequeno galho para torná-lo mais fino. Ele então usa o galho modificado para tirar a sujeira acumulada debaixo de suas unhas.

Sem surpresa

Apesar de Pansini se dizer animado com a descoberta, ele diz que não ficou totalmente surpreso com ela.

"Os mandris já foram vistos na natureza limpando seus ouvidos com ferramentas modificadas", disse ele à BBC. "Acredita-se que isso os ajuda a prevenir infecções de ouvido e por isso pode ser um comportamento importante em termos de higiene", afirmou.

Ele acredita que a situação dos animais em cativeiro pode ter ajudado no desenvolvimento do comportamento observado.

"Os animais em cativeiro têm mais tempo para executar tarefas que não têm o objetivo de procurar comida ou copular", disse. "Então nos zoológicos é possível ocasionalmente identificar comportamentos que são um pouco estranhos."

"Na natureza, esse trabalho de pedicure seria considerado banal, mas a limpeza dos ouvidos com as mesmas ferramentas modificadas dá aos animais algum alívio para a dor em seus ouvidos", comenta Pansini.

"Então estamos observando o mesmo comportamento que é usado em tarefas bem importantes sendo adaptado para tarefas menos importantes", observa.

Para a bióloga Amanda Seed, da Universidade de St. Andrews, na Grã-Bretanha, as imagens não deixam claro se o mandril está deliberadamente modificando ou não o galho para a tarefa específica ou se tem um comportamento mais próximo a outras espécies que usam galhos para limpeza.

"Essas definições são sempre complicadas. É possível dizer que assim que um animal tira um galho de uma árvore, está modificando aquele galho", observa.

Macacos mandris no zoológico de Chester

Para pesquisador, animais em cativeiro têm mais tempo para criar novos hábitos

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.