De volta à Venezuela, Chávez diz estar livre de "células malignas"

Chávez/Reuters Direito de imagem BBC World Service
Image caption Chávez chegou ao país sem aparentar dificuldades físicas

Após uma semana em Cuba, em tratamento contra o câncer, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse que exames realizados na ilha apontam que não há presença de células cancerígenas em seu corpo, porém, admitiu que ainda há riscos de que outros órgãos sejam afetados pela doença.

Chávez retornou repentinamente ao país na noite deste sábado após finalizar a primeira etapa do tratamento com quimioterapia em um hospital em Havana.

"Regressei melhor do que fui", disse Chávez, minutos depois de aterrissar no aeroporto internacional. O líder venezuelano desceu as escadas de acesso ao avião sem aparente dificuldades e sem auxílio de seus colaboradores. Ele foi recebido pelo vice-presidente Elias Jaua e por todo o gabinete de ministros.

Chávez, de 56 anos, disse que à sua chegada à Havana foi submetido a uma série de rigorosos exames cujos diagnósticos negam a proliferação de células cancerígeras que poderiam derivar em metástase.

"Não se detectou presença de células malignas em nenhuma parte do meu corpo, em um exame rigoroso (que levou) quase um dia" disse.

"Mas o risco existe e por isso a quimioterapia que me foi aplicada durante toda essa semana em várias sessões. Duro, mas esse corpo de soldado aguentou", acrescentou.

Chávez admitiu ter sentido mal-estar durante o tratamento e disse estar "bem informado" sobre seu estado de saúde.

A expectativa é que ele participe, neste domingo, nos atos comemorativos do nascimento do líder independentista venezuelano Símon Bolívar, cujas ideias inspiram a chamada revolução bolivariana.

Até agora, o presidente venezuelano revelou poucos detalhes a respeito de sua doença.

Não foi divulgado o local de onde foi extraído o tumor cancerígeno ou a gravidade da doença, elementos que geram dúvidas quanto ao futuro político do presidente, cuja candidatura à reeleição presidencial em 2012 já havia sido anunciada.

Chávez deve continuar tratamento com quimioterapia nas próximas semanas, porém, ainda não há informação oficial sobre a data em que o presidente voltará a viajar à Cuba.

Em 10 de junho, o líder venezuelano teve de ser submetido a uma cirurgia de emergência, durante sua visita a Cuba, para retirada de um tumor na região pélvica.

Após a intervenção, ele permaneceu em Havana durante quase um mês em tratamento contra o câncer. Após esse período, ele regressou à Venezuela, onde permaneceu durante duas semanas.

No sábado passado, ele voltou à Cuba para iniciar a primeira sessão de quimioterapia. Neste período, Chávez, pela primeira vez em 12 anos, delegou parte de suas funções ao vice-presidente Elias Jaua.

Notícias relacionadas