Em tratamento com quimio, Chávez aparece de cabelo raspado

Chávez, nesta segunda no Palácio de Miraflores (Foto divulgada pela Presidência da Venezuela) Direito de imagem divulgacao
Image caption Chávez aparece com novo corte, em foto divulgada pela Presidência da Venezuela

Em tratamento contra um câncer, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, apareceu pela primeira vez em público, nesta segunda-feira, com o cabelo raspado, em consequência da queda capilar ocasionada pelas sessões de quimioterapia a que foi submetido há duas semanas.

Chávez relatou que, na noite anterior, uma mecha de cabelo caiu. Ele disse ter chamado o barbeiro para cortar o cabelo bem curto.

"Estamos vendo os efeitos do tratamento", comentou, durante ato de nomeação de novos ministros, na sede do governo. "A queda do cabelo é normal e, além disso, indica que o tratamento esta sendo efetivo de maneira genérica."

O líder venezuelano deu uma breve explicação sobre os efeitos da quimioterapia no corpo, ao afirmar que o tratamento ataca imediatamente as células de rápido crescimento, incluindo as capilares.

Chávez voltou a afirmar que, desde que foi diagnosticado o câncer - durante uma visita a Cuba, em junho –, ele está transitando pelo "melhor (cenário) possível". O presidente ainda disse que, no último diagnóstico, não foram encontradas células cancerígenas que poderiam ocasionar uma metástase.

De bom humor, o presidente venezuelano, que acaba de completar 57 anos, brincou e disse estar "rejuvenescendo", ao mostrar uma foto de quando ele tinha pouco mais de um ano, e como agora, era quase calvo.

"Este é meu 'novo look'", disse.

Desde que o presidente adoeceu, o futuro político da chamada revolução bolivariana e sua dependência do líder venezuelano passaram a ser tema de preocupação e questionamento na Venezuela.

Chávez, no entanto, sustenta que concorrerá à reeleição presidencial de 2012 e que continuará à frente do projeto bolivariano por mais seis anos.

A coalizão opositora mantém, por enquanto, a decisão de eleger por meio de primárias um candidato único para enfrentar o governo nas eleições presidenciais.

Durante a apresentação de sua proposta de governo, opositores prometeram dar continuidade aos programas sociais do governo, até agora duramente criticados.

Em busca da classe média

Neste fim de semana, ao reiterar sua candidatura, Chávez deu sinais de que pretende mudar a tática para recuperar cerca de 2 milhões de votos perdidos desde as eleições presidenciais de 2006.

Visto sempre de camisa vermelha, Chávez apareceu desta vez em uma camisa amarela, convocou seus militantes a combater o sectarismo no interior do governo e abertamente disse que a tarefa, agora, é conquistar a classe média.

"Todos que colocam a camisa vermelha agora são revolucionários? Cuidado com essas banalidades. Cuidado com aquele que quer colocar socialismo em tudo, avenida socialista, gravata socialista (…). Socialismo tem que ser construído, nas bases de produção", afirmou, durante a reunião com o gabinete.

Chávez saiu em defesa de um modelo econômico misto, no qual a propriedade privada tem papel importante na economia do país. "Vamos caminhando a um esquema flexível, nosso."

Notícias relacionadas