Soldado é acusado de cortar dedos de talebã e guardar como lembrança

Soldado britânico no Afeganistão (Reuters) Direito de imagem BBC World Service
Image caption O batalhão tinha como tarefa treinar soldados afegãos

Um soldado britânico foi acusado de cortar os dedos de um insurgente do Talebã, no Afeganistão, para guardar como lembrança.

O Ministério da Defesa da Grã-Bretanha já abriu um inquérito para investigar a acusação de que o acusado seria um soldado do batalhão de Argyll e Sutherland Highlanders.

O incidente teria ocorrido na última missão do batalhão no país, que foi enviado à Província de Helmand. A tarefa do grupo, que ficou no local entre setembro de 2010 a abril de 2011, era treinar policiais afegãos.

O Ministério da Defesa não divulgou se o soldado acusado foi suspenso enquanto a investigação está em curso.

'Chocado'

"São acusações graves e seria errado comentar o caso agora. Uma investigação está em andamento", disse um porta-voz do Ministério da Defesa britânico.

Douglas Young, diretor executivo da Federação das Forças Armadas Britânicas, afirmou que, ao descobrir sobre a investigação do Ministério da Defesa, ficou "chocado".

"Os fatos ainda precisam ser estabelecidos, mas, se forem confirmadas as acusações, o Ministério da Defesa está certo em tratar a questão com toda a seriedade", disse.

"Esse suposto comportamento está totalmente em desacordo com o espírito das Forças Armadas."

Notícias relacionadas