Sexagenária desiste de travessia a nado de Cuba aos EUA

Atualizado em  9 de agosto, 2011 - 05:38 (Brasília) 08:38 GMT
Diana Nyad, em Havana, Cuba, no dia 7 de agosto de 2011, antes de dar início à sua tentativa de nadar entre os dois países (AFP Gettty Images)

Diana Nyad sentiu dores e temeu os fortes ventos

A americana Diana Nyad, de 61 anos, pôs fim à sua tentativa de cruzar a nado as águas que separam Cuba dos Estados Unidos.

A nadadora sexagenária pretendia se tornar a primeira pessoa a completar o percurso de 166 quilômetros entre os dois países sem a proteção de uma jaula contra tubarões.

Especialista em nado de longas distâncias, ela partiu de Cuba no domingo, mas deu por encerrada sua tentativa na terça-feira, após ter nadado por 29 horas.

Diana começou a sentir dores nos ombros e contou ter enfrentado fortes ventos e correntes marítimas intensas.

A sexagenária foi nos anos 70 uma das maiores nadadores de longas distâncias mundiais. Mas não conseguiu completar a travessia de Cuba aos Estados Unidos em 1978, quando tinha 28 anos.

Diana Nyad (Reuters)

Diana falhou ao tentar travessia anteriormente, em 1978

A expectativa era de que ela completaria o percurso de 166 quilômetros que separam Havana de Cayo Hueso, na Flórida, em 60 horas, chegando a Key West na quarta-feira.

Como Cuba e Estados Unidos não possuem relações diplomáticas, as negociações para permitir que Diane realizasse a sua empreitada demoraram um ano.

Diana passaria a travessia toda sem dormir. Ela apenas faria pequenas pausas a cada 90 minutos para se alimentar por meio de um tubo plástico.

Ela esteve acompanhada por cinco barcos que transportavam um equipe médica, nutricionistas e um grupo de proteção contra tubarões.

Ao lado da nadadora, havia ainda dois caiaques equipados com uma corrente elétrica subaquática para afugentar os tubarões.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.