Khadafi promete 'destruir' rebeldes e pede resistência contra 'intervenção'

Rebeldes nas ruas de Trípoli. AFP Direito de imagem AFP
Image caption Khadafi pediu às tribos do interior que levem suas "mulheres e crianças para purificar Trípoli"

Enquanto as forças rebeldes avançam em Trípoli e outras cidades da Líbia, o áudio de um discurso atribuído a Muamar Khadafi foi transmitido nesta quinta-feira por um canal de TV que permanece leal ao líder líbio.

No pronunciamento, Khadafi pede às tribos do interior que marchem à capital do país para lutar conta “a intervenção estrangeira”. Ele pede ainda a seus apoiadores que levem suas “mulheres e crianças para purificar Trípoli”.

No momento do discurso, correm rumores não confirmados de que Khadafi estaria encurralado em um dos prédios de seu quartel-general, ocupado pelas forças rebeldes na terça-feira.

No discurso endereçado aos moradores de Sirte, cidade natal de Khadafi, o líder líbio pede a seus aliados que “deixem suas casas e liberem Trípoli”.

"Nós precisamos resistir aos ratos inimigos, que serão derrotados graças à luta armada", disse. Ele pediu aos aliados para capturar e matar "os ratos, rua por rua, casa por casa".

Khadafi pede também que todas as tribos do país levem suas “mulheres e crianças” para “purificar Trípoli”.

Direito de imagem Reuters
Image caption Os rebeldes entraram na capital no fim de semana

O líder líbio também citou o presidente Nicolas Sarkozy, o primeiro a reconhecer o Conselho Nacional de Transição (CNT), das forças rebeldes.

"A Líbia é para o povo líbio, não para o imperialismo, não para a França, não para Sarkozy, não para a Itália", disse.

Sirte

Após assumir o controle da maior parte da capital da Líbia, Trípoli, forças rebeldes começaram a marchar nesta quinta-feira rumo à cidade natal de Khadafi, Sirte.

Combatentes pró-Khadafi ainda controlam Sirte, a cerca de 450 quilômetros ao leste de Trípoli, e Sabha, a 650 quilômetros ao sul, no deserto.

Houve combates violentos na estrada a caminho da cidade, com artilharia e ataques com foguetes.

Direito de imagem AP
Image caption Rebelde monta guarda em prédio em Trípoli

Forças leais a Khadafi resistiam à ofensiva, bloqueando o avanço rebelde na cidade de Bin Jawad.

Caçada

A liderança rebelde também ofereceu a Khadafi a opção de deixar o país em segurança, se renunciar ao poder.

Na quarta-feira, a coalizão de grupos rebeldes, o Conselho Nacional de Transição (CNT), anunciou uma anistia para membros do "círculo íntimo" de Khadafi que o capturem ou matem.

Um empresário líbio ofereceu US$ 1,7 milhão (cerca de R$ 2,7 milhões) pela captura de Khadafi "vivo ou morto", segundo os rebeldes. Mustafa Abdul Jalil, presidente do CNT, disse na quarta-feira que a iniciativa conta com o apoio dos rebeldes.

Khadafi enfrenta também um mandado de prisão emitido pelo Tribunal Penal Internacional, por acusações de crimes contra a humanidade.

Comandantes das forças rebeldes afirmaram que é importante capturar ou matar Khadafi para eliminar qualquer possibilidade de que o líder ou seus partidários possam organizar um contra-ataque.

Notícias relacionadas