Iene forte desacelera produção industrial do Japão

Foto de arquivo mostra montadora no Japão (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Em compensação, país teve quarto mês consecutivo de crescimento industrial

Após dois meses de recuperação, a produção industrial do Japão sofreu uma desaceleração em julho, quando registrou um crescimento de 0,6% em relação ao mês anterior.

A queda foi causada principalmente pela forte valorização do iene e pela queda nas exportações para a China. A economia de energia elétrica imposta pelo governo japonês também contribuiu para a retração.

Mesmo assim, foi o quarto mês consecutivo de crescimento, o que sugere que o país está se recuperando das consequências do forte terremoto seguido de tsunami que destruíram parte do país em março passado.

Em junho, segundo dados do governo, o crescimento tinha sido de 3,8%. De qualquer forma, o setor manufatureiro já antecipou que espera um crescimento de até 2,8% para o mês de agosto, impulsionado pela demanda interna por produtos para o verão.

Segundo a avaliação divulgada pelo Ministério da Economia, "a tendência é de recuperação".

Outro fator importante que influenciou no fraco desempenho do setor manufatureiro foi a lenta recuperação da indústria automotiva japonesa.

Dados apresentados hoje pela Associação Japonesa de Fabricantes de Veículos mostram que a produção teve uma queda de 8,9% em julho em relação ao ano anterior. Foi o décimo mês de queda consecutiva.

O presidente da entidade, Toshiyuki Shiba, já pediu ao novo primeiro-ministro, Yoshihiko Noda, que revitalize o mais rápido possível a economia japonesa.

Entre as principais reivindicações estão a desvalorização do iene, a ampliação de acordos de parceria econômica e a garantia de fornecimento estável de eletricidade.

Coreia do Sul

Também na Coreia do Sul permanecem os efeitos da crise econômica mundial.

A produção industrial sul-coreana registrou uma considerável queda de 0,4% em julho em comparação com o mês anterior.

A retração do setor manufatureiro dos dois países asiáticos é um indicador-chave sobre a saúde da economia global.

"Os dados refletem o ritmo lento de recuperação mundial, que está afetando as exportações", disse à BBC Brasil Goh You Sun, da Daewoo Securities.

Notícias relacionadas