Empresário é preso acusado de chantagear Berlusconi sobre prostitutas

Berlusconi Direito de imagem Reuters
Image caption Segundo revista, Berlusconi teria transferido meio milhão de euros a Tarantini

A polícia italiana prendeu nesta quinta-feira um casal acusado de chantagear o primeiro-ministro Silvio Berlusconi sobre a suposta realização de festas com a presença de prostitutas.

Segundo a mídia italiana, o empresário Giampaolo Tarantini e sua mulher, Angela Devenuto, ambos de 34 anos, tiveram suas prisões decretadas após investigações policiais terem descoberto a transferência para eles de centenas de milhares de euros.

Tarantini havia admitido ter pagado a prostitutas para que fossem à mansão de Berlusconi para festas que ficaram conhecidas como "bunga bunga".

Ele teria pedido o dinheiro ao premiê para dizer aos investigadores que Berlusconi não sabia que as mulheres que ele levava às festas eram prostitutas.

'Família em dificuldade'

O premiê admitiu ter dado dinheiro ao empresário, mas afirmou em uma entrevista publicada na semana passada pela revista Panorama, de sua propriedade, que estava apenas ajudando "uma família em sérias dificuldades financeiras".

"Não fiz nada ilegal, estava apenas ajudando um homem desesperado sem pedir nada em troca", afirmou o premiê.

O promotor do caso não divulgou o valor transferido por Berlusconi, mas segundo reportagem da Panorama, o valor teria chegado a 500 mil euros (cerca de R$ 1,15 milhão).

Tarantini também é investigado sob a acusação de fornecer prostitutas a autoridades em troca de favores políticos.

O caso pelo qual o empresário e a mulher foram presos não tem relação com outro escândalo no qual Berlusconi é acusado de pagar por sexo com uma menor de idade.

Notícias relacionadas