Recibo liga motorista de van a assassinato cometido em 1981

Jennifer Cardy (PA) Direito de imagem PA
Image caption Jennifer Cardy desapareceu em região percorrida por Robert Black

O suspeito do assassinato de uma menina de 9 anos cometido em 1981 pôde ser ligado ao crime por meio de recibos de compra de gasolina.

O acusado de ter cometido o assassinato, Robert Black, de 64 anos, é um motorista de van que morava em Londres, nega ter matado Jennifer Cardy, na Irlanda do Norte.

Mas recibos de compra de gasolina, recibos de entregas de encomenda e a prova de pagamento de um bônus provaram de forma conclusiva que Black estava na região em que a menina desapareceu.

Ele é acusado de ter raptado e assassinado a vítima, que estava indo de bicicleta para a casa de uma amiga.

A promotoria afirmou que Black estava trabalhando como motorista de um serviço de entregas de uma empresa de pôsteres baseada em Londres.

Crime

Ele teria interceptado Jennifer antes de ela chegar à casa de sua amiga, raptado a jovem, abusado sexualmente dela, para em seguida matá-la.

O corpo da menina foi encontrada em um lago perto de uma estrada seis dias depois de seu desaparecimento.

Entre as provas que ligariam Black ao crime estão um registro de pagamentos, que mostra que ele recebeu 50 libras (R$ 159) para realizar a corrida de Londres à região da Irlanda do Norte em que o crime ocorreu.

Além dele, nenhum outro motorista da firma realizou este mesmo percurso na ocasião.

Recibos mostram também que ele teria feito entregas na região em que o assassinato ocorreu.

Um recibo de compra de combustível mostra ainda que ele estava dirigindo o único carro da empresa e que o veículo foi abastecido na região em que o crime ocorreu no mesmo dia em que Jennifer desapareceu.

Notícias relacionadas