Maldivas reclamam de 'notícia' de que seriam omitidas do mapa mundi

Foto de arquivo de praia nas ilhas Maldivas (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Maldivas se sentem ameaçadas pela elevação no nível do mar e pelas mudanças climáticas

O governo das ilhas Maldivas, no oceano Índico, se queixou do texto satírico de um blog do jornal britânico The Daily Telegraph, que dizia que o pequeno país seria eliminado de um atlas global.

A "omissão" seria uma consequência do aquecimento global, já que as Maldivas se veem sob o risco de ficarem submersas em decorrência do aumento dos níveis das águas marítimas.

O post do blog de James Delingpole – um cético do aquecimento global –, no Telegraph, era satírico, mas foi levado a sério por diversos meios de comunicação nas Maldivas.

O texto derivou da notícia, na segunda-feira, de que cientistas haviam afirmado que o atlas feito pelo jornal britânico The Times exagerava a diminuição da área coberta por gelo na Groenlândia, outra região ameaçada pelas mudanças climáticas.

Delingpole escreveu então em seu blog que a próxima edição do famoso atlas daria continuidade ao "alarmismo" do aquecimento global e eliminaria por completo as Maldivas, as ilhas de Tuvalu (na Oceania) e partes de Bangladesh.

O blogueiro citava um fictício porta-voz do atlas que dizia que, no desenho de mapas, a "verdade emocional" era mais importante do que a verdade real.

Desculpas

A brincadeira causou polêmica nas Maldivas. Um político de oposição divulgou um comunicado culpando o presidente das ilhas, Mohamed "Anni" Nasheed, pela "omissão" no atlas.

Nasheed ficou famoso em 2009, pouco antes do encontro climático de Copenhague, por fazer uma reunião de gabinete sob a água, para chamar atenção para o risco que seu país corria se os níveis dos mares não parassem de subir.

Um porta-voz da editora do Times World Atlas confirmou a um site maldivo que o blog de Delingpole era falso.

Em reação, um representante do governo maldivo em Londres escreveu ao Telegraph exigindo um pedido de desculpas e um esclarecimento.

O representante alegou que, ainda que os maldivos tenham senso de humor, o post do blog dava a entender que a luta das Maldivas contra o aquecimento global era falsa, o que foi considerado ofensivo.

Uma autoridade do governo maldivo disse à BBC que o Telegraph não deveria publicar informações "sem sentido" que podem ser confundidas com notícias de verdade. Mas agregou que os jornais maldivos também têm de reconhecer que foram enganados.

Notícias relacionadas