Acusado de prender bomba falsa em adolescente é extraditado para Austrália

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Madeleine Pulver ficou 10 horas com a suposta bomba presa ao pescoço

Um homem foi extraditado dos EUA para a Austrália onde é acusado de tentar extorquir dinheiro ao ligar uma adolescente a uma bomba falsa.

O empresário bem-sucedido Douglas Peters, de 50 anos, chegou na cidade de Sydney na manhã de sábado de um vôo vindo do Estado americano de Kentucky onde foi preso em agosto.

Ele é acusado de rapto, invasão com agravantes e extorsão de dinheiro com ameaças.

As acusações são referentes ao episódio ocorrido no dia 3 de agosto, quando um homem mascarado teria invadido o quarto de Madeleine Pulver em uma rica área de Sydney e amarrado o que dizia ser uma bomba em seu pescoço.

Ex-funcionário

A polícia levou 10 horas para remover o artefato, que revelou depois não conter explosivos. Peters, preso na casa de sua ex-esposa em Lousiville (Kentucky) não lutou contra sua extradição, embora seu advogado americano tivesse dito que ele rejeita as acusações. Ele deve permanecer sob custódia até a próxima audiência no dia 17 de novembro. Não está clara a ligação de Peters com os Pulvers, embora documentos do processo mostrem que ele já trabalhou para uma companhia ligada à família. Os Pulver dizem não conhecer Peters e não ter idéia do porquê de Madeleine ter sido alvo do incidente.

Notícias relacionadas