FMI pode não ter dinheiro suficiente para socorrer grandes, diz Lagarde

Direito de imagem AFP
Image caption Segundo Lagarde, a situação pode mudar se o FMI tiver que socorrer grandes economias

O Fundo Monetário Internacional pode não ter dinheiro suficiente para fornecer pacotes de resgate financeiros para grandes economias da zona do euro, disse a diretora-gerente da instituição, Christine Lagarde.

Ela disse que o FMI consegue cumprir com suas atuais obrigações, mas a situação pode mudar se a crise internacional se agravar.

Publicamente, lideranças políticas insistem que não há plano para uma moratória das Grécia, mas relatos sugerem que se estuda a possibilidade de o país não pagar suas dívidas e permanecer na zona do euro.

Acredita-se que lideranças europeias estão convencidas de que o caminho a ser trilhado é recapitalizar os bancos e o Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (EFSF, na sigla em inglês)

O correspondente econômico da BBC Joe Lymam afirma que a meta é aumentar o dinheiro que o EFSF disponibiliza para ajuda financeira a bancos e membros de 440 bilhões de euros para 2 trilhões de euros.

Direito de imagem Reuters
Image caption Relatos sugerem plano para Grécia não pagar dívida e seguir no euro

Lymam diz que o plano permitiria ao Banco Central Europeu comprar mais bônus de Itália e Espanha, evitando que estes países necessitem de um pacote integral de ajuda.

O ministro grego para Relações Econômicas Internacionais, Constantine Papadopoulos, disse que deixar a zona do euro seria uma catástrofe para o país.

“Pessoalmente acho que deixar a zona do euro nos levaria de volta para os anos 1960 ou 70”, disse ele à BBC, referindo-se a poder aquisitivo do país na época.

Nesta semana, o FMI e a União Europeia devem monitorar os progressos que a Grécia vem atingindo em seus planos para a redução de seu déficit.

A Grécia ainda recebe dinheiro de um pacote aprovado em maio do ano passado, embora a próxima parcela possa ser cancelada se os inspectores julgarem que o país não está cumprindo as metas de cortes estipuladas.

Analistas dizem que a possibilidade de isto ocorrer é grande.

Sem a parcela deste mês, a Grécia não deve ser capaz de pagar sua dívida a partir do mês que vem.

Um segundo pacote do FMI e União Europeia foi aprovado para a Grécia em julho deste ano, mas este ainda precisa da ratificação de um número de países da zona do euro.

Notícias relacionadas