Crise é maior desafio da história da União Europeia, diz Barroso

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso Direito de imagem AP
Image caption Barroso garantiu que Grécia não deixará a zona do euro

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, afirmou nesta quarta-feira que a crise envolvendo a dívida de diferentes países europeus representa ''o maior desafio'' da história da União Europeia.

''Hoje, estamos enfrentando o maior desafio em toda a história da União Europeia'', mas ele acrescentou que é tanto ''possível'' como ''necessário'' superar a crise.

Barroso, assim como representantes do Banco Central Europeu (BCE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) deverão se encontrar com autoridades da Grécia nesta quarta-feira, para discutir a crise de endividamento que afeta o país.

Eles irão avaliar se a Grécia avançou em suas tentativas de reduzir o nível da dívida do país.

Compromissos

Durante um discurso no Parlamento europeu, Barroso procurou dissipar temores de que a Grécia possa vir a decretar o default de sua dívida ou mesmo abandonar o grupo de países que integram a zona do euro.

"A Grécia é e permanecerá sendo um membro da zona do euro. A Grécia precisa cumprir os seus compromissos no período determinado e integralmente. Os outros países da zona do euro, por sua vez, se comprometeram a auxiliar a Grécia e uns aos outros.''

Na terça-feira, o primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, enalteceu os esforços ''sobre-humanos'' para reduzir o orçamento do país.

A Comissão Europeia, o BCE e o FMI irão avaliar se liberarão um total de 8 bilhões de euros (cerca de R$ 20 bilhões) de um pacote de 110 bilhões de euros destinado à Grécia negociado em meados deste ano.

A avaliação da Comissão Europeia, do BCE e do FMI ocorre em meio a divergências entre os países da zona do euro sobre o grau de apoio que deve ser dado a Grécia.

Os países da região estão em vias de ratificar propostas formuladas em julho, entre elas uma que faria com que investidores privados abrissem mão de 20% das dívidas que a Grécia teria com eles.

Notícias relacionadas