Líder de rede extremista é capturado no Afeganistão

Direito de imagem Reuters
Image caption Soldados deslocados para hotel Intercontinental de Cabul, alvo de atentado da rede Haqqani

Forças afegãs e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) capturaram um dos mais importantes líderes da rede extremista Haqqani, aliada do Talebã, no Afeganistão.

Segundo um comunicado da coalizão divulgado neste sábado, Haji Mali Khan estava fortemente armado mas não resistiu à prisão, realizada na província de Paktia, no sudeste do país na terça-feira.

Diversos outros insurgentes foram capturados na mesma operação.

Khan é tio do líder da rede insurgente, Siraj Haqqani, e um dos mais altos comandantes na sua hierarquia. Autoridades afegãs o consideram o "cérebro" da organização.

No comunicado, a coalizão afirmou que a prisão é "um passo importante para desbaratar a rede Haqqani".

Ramificações

A rede está por trás de diversos atentados contra as forças de coalizão no Afeganistão.

Além disso, a inteligência americana afirma que a organização tem ramificações no Paquistão - o que o governo paquistanês nega.

Reavivando a polêmica, um ex-chefe da segurança paquistanesa admitiu em uma entrevista à BBC que a rede Haqqani está presente no Paquistão.

Image caption Khan é tio do líder da rede extremista, Siraj Haqqani

O general reformado Mahmoud Durani, ex-conselheiro nacional de segurança, reconheceu que os insurgentes da rede operam nas áreas tribais do país.

Durani disse que todas as pessoas que têm cargos de importância na rede estão em atividade no Waziristão do Norte, apesar da presença militar no local.

O Exército paquistanês é acusado de dar apoio aos militantes da organização.

Para o ex-general, as tropas não podem avançar sobre os integrantes da rede Haqqani porque estão sobrecarregadas.

Notícias relacionadas