Visita de Dilma traz alívio para crise na Bulgária, dizem jornais do país

Dilma Rousseff durante visita a Sófia Direito de imagem Reuters
Image caption Para jornal, visita de Dilma é 'outra chance para a Bulgária superar a crise econômica'

Os jornais búlgaros destacaram nesta quinta-feira que a visita da presidente Dilma Rousseff pode trazer benefícios à economia do país.

Para o jornal de negócios Trud, de Sófia,"a Bulgária poderá exportar máquinas de novo para o Brasil".

O jornal traz uma entrevista com um especialista do setor, que participou do Fórum Empresarial Brasil-Bulgária, na quarta-feira. Segundo ele, a Bulgária pode exportar fertilizantes e máquinas de laminação ao mercado brasileiro.

O Trud ressaltou, no entanto, que apesar do otimismo, as relações bilaterais entre Brasil e Bulgária ainda são pequenas.

"O Brasil está em terceiro lugar no nosso comércio com a América Latina, atrás do Chile e do Peru", afirma a reportagem do jornal búlgaro. "O comércio bilateral chegou a US$ 133 milhões em 2010, um valor 21% inferior ao de 2009."

Bulgária e UE

A corrente de comércio entre Brasil e Bulgária cresceu fortemente depois de 2005, mas dois anos depois, com o ingresso da Bulgária na União Europeia e com o começo da crise econômica, esta tendência se reverteu.

O país vinha crescendo 6% ao ano até a crise de 2008, e entrou em forte recessão no ano seguinte. Desde então, a economia búlgara se recuperou levemente.

A Bulgária é o país mais pobre da União Europeia e está fora da zona do euro. O governo local luta para conseguir maior integração ao bloco econômico europeu, e muitos acreditam que a visita de Dilma pode ajudar neste sentido.

Na sua edição desta quinta-feira, o jornal 24 Chasa destaca uma declaração do premiê búlgaro, Boyko Borisov, dizendo que a visita - que se seguiu à encontros da presidente com autoridades da União Europeia em Bruxelas -, "é um recado que será lido em todo o mundo" e ainda "outra chance para a Bulgária superar a crise econômica".

Na segunda-feira, o mesmo jornal havia dito que a Bulgária esperava que Dilma trouxesse "seu talão de cheques" ao país, deu ênfase à grande escala do mercado brasileiro, que pode servir para "fortalecer as relações comerciais entre a Bulgária e a União Europeia".

A própria presidente havia dito em uma solenidade que a Bulgária poderia ser a "porta de entrada da União Europeia" para o Brasil.

Nesta quinta-feira, Dilma viaja ao interior do país. À tarde, ela visitará a cidade de Gabrovo, terra natal de seu pai. À noite, ela segue para a Turquia, o último destino de seu giro internacional.

Notícias relacionadas