Cuba discute limitar mandato de autoridades

Raúl Castro, presidente de Cuba. AP Direito de imagem AP
Image caption Para Raúl, o regime sofre as consequências de não ter uma reserva de jovens lideranças

O Partido Comunista de Cuba anunciou nesta sexta-feira que começou a debater a proposta lançada pelo presidente Raúl Castro para limitar os mandatos das autoridades cubanas a dois períodos de cinco anos cada.

A proposta de Raúl, 80 anos, é parte de sua estratégia para promover jovens lideranças em Cuba. Ele sucedeu seu irmão Fidel Castro, 85 anos, que liderou a Revolução Comunista na ilha em 1959.

A proposta será debatida nos próximos meses e será submetida à votação na conferência nacional do partido, em janeiro de 2012, segundo informações da agência de notícias Associated Press.

O documento publicado na imprensa cubana diz que a ideia é promover "uma renovação gradual na liderança".

O projeto não detalha a quais níveis de governo se aplicaria a nova regra, inédita no país, conhecido pela longa permanência de alguns líderes em postos-chave da administração.

Em abril desde ano, Raúl já tinha tocado no assunto e defendeu inclusive a limitação dos mandatos presidenciais.

Fidel, em seus artigos no jornal Granma, também já defendeu um "sistemático rejuvenescimento" das lideranças cubanas.

Falta de liderança

Durante um encontro do partido, em abril, Raúl disse que a tentativa anterior de preparar novos líderes não tinha funcionado bem.

A declaração foi interpretada como uma referência ao ex-chanceler Felipe Pérez Roque (hoje com 46 anos) e ao ex-vice-presidente Carlos Lage Dávila (atualmente, 59), demitidos em 2009. Membros do Partido Comunista acusaram ambos de "sede de poder".

Castro disse, em abril, que hoje o regime "sofre as consequências de não ter uma reserva de lideranças pronta".

O documento defende ainda que postos-chave da administração tenham diversidade de raça e de sexo.

Notícias relacionadas