Inquérito apura aborto por engano de gêmeo saudável na Austrália

Wikimedia Commons Direito de imagem wikimedia commons
Image caption Grávida optou por abortar feto doente, mas gêmeo sadio acabou morto (Foto: Wikimedia Commons)

Um hospital de Melbourne, na Austrália, abriu um inquérito para apurar o caso do aborto de um feto sadio, confundido com seu irmão gêmeo.

Médicos disseram à mãe dos gêmeos que um de seus bebês tinha um problema cardíaco congênito que requereria várias cirurgias durante sua vida, caso ele sobrevivesse.

A mãe escolheu por abortar o feto de 32 semanas, mas, na última terça-feira, os funcionários do Royal Women's Hospital realizaram o procedimento, por meio de injeção, no bebê sadio.

O hospital descreveu o caso como uma "tragédia terrível". A mãe teve de passar por uma cesariana para acabar com a vida do feto doente.

"O Royal Women's Hospital pode confirmar que um incidente clínico infeliz ocorreu na terça-feira", declarou o hospital, em um comunicado.

"Nós estamos conduzindo uma investigação completa e continuando a oferecer todo o apoio à família e aos funcionários afetados", afirmou a instituição.

Supervisão independente

O ministro da Saúde do Estado de Victoria, David Davis, disse que a investigação do hospital seria supervisionada por um especialista independente.

"Eu estou muito determinado para chegar até o fundo do que deu errado", afirmou o ministro.

"Eu não acho que seja apropriado para ninguém tirar quaisquer conclusões, além do fato que isto é uma tragédia horrível", disse o primeiro-ministro de Victoria, Ted Baillieu.

"Nós vamos assegurar que a investigação seja o mais completa possível", afirmou.

Em um comunicado breve, a família pediu por privacidade durante "um momento que tem sido muito difícil".

Notícias relacionadas