Governo lança disque-denúncia para violência contra brasileiras no exterior

Casa Abrigo do Distrito Federal. ABr Direito de imagem ABr
Image caption Serviço gratuito, em português, vai orientar as mulheres sobre onde buscar ajuda no exterior

Brasileiras que vivem em Portugal, Espanha e Itália agora poderão fazer denúncias de agressão por telefone. Nesta sexta-feira, o governo federal lança em Brasília a expansão para o exterior do serviço Ligue 180, que desde 2006 fez mais de 2 milhões de atendimentos a mulheres vítimas de maus tratos.

Em entrevista à BBC Brasil, a ministra-chefe da Secretaria de Políticas para Mulheres, Iriny Lopes, disse que o alvo do serviço são mulheres que sofrem maus tratos de parceiros, são obrigadas a se prostituir, trabalham em condições precárias ou são "vítimas de organizações criminosas e foram sequestradas".

"Há uma grande incidência de casos desse tipo envolvendo brasileira nesses três países. O projeto é piloto. Vamos consolidar e podemos expandir para outros países", disse a ministra, citando os Estados Unidos como possível local para expansão.

O projeto foi feito em parceria com o Ministério da Justiça e o Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores).

O atendimento será feito a partir do Brasil, 24 horas por dia, e as ligações serão gratuitas e confidenciais.

As atendentes repassarão os casos aos consulados, que irão ao encontro das vítimas e poderão acionar as autoridades locais e até a polícia dependendo da situação.

"Há um grande número de brasileiras que são vítimas de companheiros agressivos. Em outros casos, elas têm filhos que possuem apenas a nacionalidade dos países onde vivem (o que acaba prendendo as mulheres ao local). Nós vamos divulgar os números nos consulados, entidades brasileiras, aeroportos", disse Iriny.

Diplomacia

Segundo dados da própria Secretaria divulgados em novembro, o Ligue 180 registrou, de abril de 2006 a outubro de 2011 mais de dois milhões de atendimentos (2.188.836).

A secretaria diz que a maior parte das mulheres que entrou em contato com o serviço no Brasil "é parda (46%), tem entre 20 e 40 anos (64%), cursou parte ou todo o ensino fundamental (46%)". Ceca de 40% delas convivem com o agressor há mais de dez anos e 87% das denúncias foram feitas pelas próprias vítimas.

No exterior, "todo o processo de providências vai respeitar os tratados internacionais, as resoluções da ONU e os acordos bilaterais do Brasil com esses países", disse a ministra.

"O Ligue 180 também vai facilitar o atendimento, já que muitas mulheres vivem em cidades distantes dos consulados brasileiros", disse Iriny.

Serviço

Na Espanha, as vítimas de agressão devem ligar para 900 990 055, fazer a opção 3 e, em seguida, informar à atendente o número 61-3799.0180.

Em Portugal, o número é 800 800 550. Deve-se discar a opção 3 e informar o número 61-3799.0180.

Na Itália, as brasileiras podem ligar para o 800 172 211, fazer a opção 3 e então informar o número 61-3799.180.

Notícias relacionadas