Polícia encontra alunos acorrentados em escola do Paquistão

Atualizado em  13 de dezembro, 2011 - 22:24 (Brasília) 00:24 GMT
Escola religiosa no Paquistão. BBC

Madrassa mantinha adultos e crianças; muitas das escolas islâmicas paquistaneseas são irregulares

A polícia do Paquistão libertou cerca de 50 estudantes de uma escola religiosa, chamada de "madrassa", na cidade portuária de Karachi, uma das maiores do país.

Vários dos estudantes, alguns com 12 anos de idade, eram mantidos acorrentados. Outros teriam sofrido espancamentos, não eram alimentados e eram mantidos no que a polícia descreveu como câmara de tortura.

Alguns dos pais pagaram para que as crianças frequentassem a escola, conhecida como "madrassa cadeia", pois os filhos eram viciados em drogas ou estavam envolvidos com crimes.

Alguns dos estudantes conversaram com a imprensa enquanto ainda carregavam as correntes que os mantinham presos na escola religiosa, cujo regime de disciplina eles descreveram como brutal.

Um deles afirmou que os responsáveis pela escola falavam aos estudantes que eles seriam enviados para se juntar à jihad e que, se tentassem escapar da “madrassa”, seriam castigados com 200 chibatadas.

Um outro menino afirmou que membros do Talebã visitavam a escola e disseram aos estudantes que eles deviam "se preparar para a batalha".

Reabilitação

Pelo menos duas pessoas que ajudavam na administração da escola foram presas, mas o diretor fugiu. A polícia informou que já abriu um inquérito.

"Cada possibilidade, incluindo este envolvimento com militantes, será investigada", disse à agência de notícias AFP, Sharfuddin Memon, porta-voz de negócios interiores para a Província de Sindh, onde fica Karachi.

Muitos pais deixam seus filhos na "madrassa" à procura de tratamento médico para dependência. Para eles, o regime severo ajudaria na reabilitação.

Escola religiosa no Paquistão. AFP

Estudantes eram mantidos no porão, onde eram torturados como forma de reabilitação

Alguns dos países disseram à BBC que estavam felizes com o resultado e que os filhos foram acorrentados para que não escapassem do local.

"Se uma criança tem problemas, como má companhia, tabagismo e drogas, então não temos escolha a não ser levá-la para tais lugares", afirmou Mohammed Qasim, o pai de um dos alunos.

'Tortura e abuso"

Os estudantes foram encontrados presos durante uma batida policial na noite de segunda-feira.

Segundo a imprensa paquistanesa, os investigadores receberam uma denúncia de que a escola mantinha estudantes vivendo no porão, sob tortura.

Existem milhares de "madrassas" no Paquistão. As escolas garantem a educação para mais de dois milhões de estudantes, segundo estimativas.

Há muitos colégios irregulares no Paquistão, sendo que muitos deles são a única opção para crianças de famílias pobres.

Algumas "madrassas" do Paquistão também são acusadas ​​de funcionarem como campos de treinamento para militantes islâmicos. A escola de Karachi, no entanto, era apenas usada como centro de reabilitação, segundo a polícia.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.